sábado, 7 de julho de 2012

Um procedimento para a troca do pivô da bandeja

Os pivôs de bandeja ou terminais de suspensão, podem ser avariados em colisões frontais ou mesmo se danificarem com o uso. (os solavancos que o carro é submetido ao rodar por nossas ruas esburacadas, danificam as peças de suspensão, o pivô é só uma delas...) Em automóveis mais novos, as montadoras incorporaram o pivô à bandeja, ou seja: no caso de um pivô avariado, sua troca fica condicionada a troca da bandeja inteira! É claro que a bandeja de suspensão sai muito mais caro que a troca de um pivô apenas. Nesses casos, este procedimento que passo a relatar é muito útil, pois permite a troca do pivô sem retirar a bandeja do lugar e sem muito "sofrimento". O trabalho é tipico do mecânico, mas quando me deparo com um caso como este, eu converso com o cliente e acerto o reparo sem problema, aliás um bom profissional não deve se focar só em um tipo de trabalho, e sim se interessar por todos os desdobramentos que ocasionalmente se relacionam com o restauro de um automóvel e na melhor maneira de satisfazer sua clientela. Este procedimento foi criado por mim (que eu saiba!) e submetido ao julgamento de alguns mecânicos, os quais avaliaram como um bom procedimento, já que facilita o trabalho e é bem mais barato para o cliente! Vamos a ele?
A foto ao lado mostra a ponta da bandeja, com o pivô. A seta aponta para o rebite de aço que chumba o pivô a bandeja, (neste caso são três) fazendo com que as duas peças, bandeja e pivô virem uma só, pois estes rebites são prensados na fabrica que fornece as montadoras, não sendo possível a reprodução do processo em uma oficina comum. É claro que a bandeja original de reposição já vem com o pivô, e é claro que metalúrgicas de auto-peças fabricam o pivô em separado e fornecem as lojas de auto-peças, que orientam o consumidor a trocar somente o pivô, e economizar no reparo, pois uma bandeja desta sai muito mais caro que a troca do pivô. Mas atente para este detalhe: trocar somente o pivô não é bom para o mecânico, dada a dificuldade da troca, (ele tem que desmontar a bandeja prende-la numa morsa, para cortar os rebites de aço, ou tentar cortar os rebites no local mesmo, que também é muito difícil, serão muitas marretadas...). Pois bem se o mecânico vai trocar o pivô, ele vai cobrar pelo trabalho, e a diferença entre a troca do pivô e a troca da bandeja diminui ainda mais! Mas fazendo como eu demonstro a seguir, trocaremos só o pivô e sem demora!


Na foto ao lado o pivô. Já vem com os parafusos de aço, arruelas e porcas, (estas porcas são especiais, com uma conicidade nas últimas roscas, para dar mais aperto).

Usando uma mini esmerilhadeira, vamos rapidamente esmerilhando a cabeça dos rebites, até que não sobre mais nenhum pedacinho, ou seja, até que haja um nivelamento total com a bandeja, no ponto em que está o rebite. Na foto a esquerda, os círculos e a seta amarela mostram a área de ação da esmerilhadeira (a seta vermelha mostra o porque da troca). Na foto a direita, o primeiro rebite já totalmente sem cabeça e o terceiro quase. Eu usei um apoio para a bandeja, (seta vermelha) pois dei umas pancadas com marreta e punção e com uma talhadeira fina eu levantei a "pelinha" da cabeça do rebite para melhor ser esmerilhada. Click nas fotos para ver melhor.
Continuando, na foto ao lado já tiramos todas as cabeças, e nivelamos a  superfície na área do rebites. Mas nada de movimentação do pivô, ele está firme como uma rocha! Parece que está soldado na bandeja! Sabem porque? Por que ao serem prensados os rebites incham dentro do orifício da bandeja, travando-os, e mesmo sem as cabeças estão firmemente colados. Para resolvermos isto vamos usar uma talhadeira fina, que usaremos para abrir as "orelhas laterais" apontadas nas setas amarelas. Dando pancadas com marreta e talhadeira, logo vemos que o circulo do rebite aparece e continuando vemos que um baixo-relevo vai se configurando...




Um pouco mais de insistência, e o pivô foi removido!










A colocação do novo é tranquila. Basta apertar bem os parafusos, a última foto desta postagem mostra a personagem principal deste procedimento, a mini esmerilhadeira! (no circulo vermelho). Um toque final de acabamento é aconselhável, na área afetada pela esmerilhadeira eu aconselho uma pintura (marcada nas linhas pontilhadas). Desta forma eu demonstrei um pequeno procedimento que espero que sirva de utilidade para quem quiser um dia trocar um pivô de bandeja sem demora e dificuldade! Até a próxima!

10 comentários:

Val alexandre disse...

Para trocar o pivô d gol,é preciso arrancar o tripoide?

Wilson Guttler disse...

Não é não, basta soltar o pivô da bandeja nos seus dois parafusos e retirar o parafuso/pino que prende o pivô ao braço da suspensão.

Anônimo disse...

Como sei quando tem de trocar o pivo? Se ele esta mole, com "folga" preciso troca-los? Ou apenas se estiver estourado.?

Wesley disse...

Nossa muito bom!

paulo disse...

boa tarde valeu foi muito bom a tua explicação!

FÁBIO disse...

Muito bom obrigado!

Anônimo disse...

Muito bom obrigado!

Leandro Rodrigues disse...

parabéns camarada.
Vou fazer igual aconselhado por ti.VLW!

helio castro disse...

E isso mesmo meu mecanico usou essa tecnica hoje no meu siena

Sylvio Limah disse...

Muito obrigado,estou com esse problema agora ja sei como proceder a troca sem furar meu bolso,valeu pela dica,abraço