terça-feira, 16 de agosto de 2011

Passo à passo de retoque em poliéster.

passo a passo gol e audi 006  passo a passo gol e audi 004   Mostrarei, passo à passo, a realização de um retoque no para lama e para choque em um Audi prateado. Na primeira foto, no detalhe reparem que o para choque é de plástico, como todos hoje em dia. Na segunda foto, a área do retoque a ser efetuado.
 passo a passo gol e audi 011 Na foto ao lado, o primeiro passo: pára-lama desamassado, e lixamento inicial com lixa grana 36.
 passo a passo gol e audi 013 Agora, com o segundo passo: aplicação de aderente para plásticos, à pincel mesmo, e incluindo até as áreas do pára-lama.
 passo a passo gol e audi 024 Próximo passo: aplicação de massa niveladora, atenção redobrada na junção para-lama/para-choque.É preciso passar um estilete, com a massa ainda mole, para não haver união das peças. Note que se for superado este obstáculo, não haverá necessidade de desmontar as peças em questão, o que facilitará o trabalho, então vale a pena o empenho.
 passo a passo gol e audi 027 Próximo passo: Lixamento da massa niveladora. Começamos com grana 80, com a massa ainda alta (não nivelada), reduzimos para a lixa 150, sempre à seco, e com o taco.
 passo a passo gol e audi 032 Passo seguinte: Aplicação de massa rápida, esta fase marca o começo da pintura, pois até a anterior, quem estava em ação era o profissional funileiro, agora assume o profissional pintor. Esta massa é para retirar os riscos e poros que estão na área trabalhada, ela poderia ser substituída direto com aplicação de primer P.U. , mas optei por usar a massa rápida, com a qual trabalho a décadas, porém o primer P.U. representa a inovação, e os pintores atuais aboliram o uso de massa rápida, como eu nunca observei queda de qualidade, no uso de massa rápida, continuo a usar, e o serviço fica ótimo, e devido a secagem, acho que mais rápido.
 passo a passo gol e audi 035 Passo seguinte: Lixamento da massa rápida, sempre com o taco, primeiro com lixa 150 e depois redução para 320 e finalmente 400.
 passo a passo gol e audi 045 Próximo passo: Empapelamento, tudo lixado e limpo, vamos selecionar a área de trabalho através do isolamento, com fita e jornal, cobrindo ao redor dos painéis em que vamos embutir nosso retoque. Deve-se ser detalhista ao extremo, nunca deixar aparecer tinta ou respingos em peças ou áreas que não queremos. Dica: usar um estilete para cortar a fita crepe e o jornal, nos recortes mais difíceis.
 passo a passo gol e audi 047 Depois, faz-se a aplicação do primer de isolamento, que neste caso é cinza, do tipo universal. Aplica-se no mínimo três passadas, secas, ou seja : não  aplique uma passada muito carregada, o primer não deve “molhar” a área que esta masseada.
passo a passo gol e audi 061  Próximo passo: O lixamento do primer, primeiro com lixa de grana 400, reduzindo para 600. Esta é a grana de lixa recomendada para a aplicação da tinta poliéster, pois ela é muito diluída e não tem poder de cobertura, muito menos de enchimento.
passo a passo gol e audi 070 Passo seguinte: O polimento de aderência, em toda a área do painel que não foi lixada, que neste caso é o para-lama, e em volta do retoque, que neste caso é o para-choque. Pode ser feito com massa de polir número dois, manual e minuciosamente, em seguida limpo com estopa limpa e seca.
passo a passo gol e audi 071 Próximo passo: A aplicação da tinta, com o leque aberto, e pressão por volta de 18 a 20 libras no revolver do tipo gravitacional, faz-se pelo menos nove passadas de tinta, dependendo do poder de cobertura da mesma, calmamente, sem molhar e dando um tempo para evaporação do solvente entre as passadas, antes de efetuar a passada seguinte, é aconselhável retirar pó e fiapos que possivelmente tenham grudado na pintura, se necessário deve-se lixar com lixa 600 seca, antes de recomeçar.
passo a passo gol e audi 075 Quando o fundo isolante não estiver mais aparecendo, e a se a superfície estiver lisa, sem calcinações de poeira da tinta, faz-se a abertura do retoque, ou seja, em duas passadas extras embuta a cor nova na antiga, abrindo a área de trabalho, fazendo um efeito degradê, evitando um corte seco, ou seja pintar próximo ao término do painel, que neste caso seria próximo da porta. Feito isto, deve-se aguardar pelo menos quinze minutos, para a aplicação do verniz. Enquanto isto acontece, limpa-se o revolver, que deve sempre ser limpo logo depois do uso.
passo a passo gol e audi 082 Passo seguinte: A aplicação do verniz, este é o verniz bi-componente, ou seja : seu preparo final é resultado de dois itens, o catalizador e o verniz, propriamente dito. Também deve-se diluir com diluente para P.U., cerca de 35 a 40 % sobre a quantidade de verniz, leia atentamente o rótulo da lata, e sempre observe o resultado de qualquer variação de diluição da tinta no dia a dia da oficina, o que deve prevalecer é a qualidade do trabalho. Você verá que em determinadas situações, a diluição pode ser mudada, ao critério da prática e da necessidade. Neste caso a diluição foi feita em 40%.
passo a passo gol e audi 090À cerca do verniz : A primeira passada deve ser seca e empoeirada, e envolver toda a superfície pintada, incluindo os recortes e dobras, quinze minutos depois, a segunda passada, que será molhada e mais carregada de tinta, também deve-se pintar as dobras e recortes com todo o cuidado, evitando deixar algum pedacinho sem pintar. Finalmente, a última passada, também após quinze minutos. Esta última passada é para garantir o polimento, pode-se até afinar um pouco mais a tinta, mas não muito, e aplica-la excluindo os recortes e dobras, só nas áreas que serão polidas, desta forma a lisura da aplicação fica mais fácil de ser conseguida, já que não haverá a poeira extra dos recortes e dobras. Eu costumo esperar pelo menos quatro horas para o polimento sem a máquina, e um dia para polir com a máquina. 
última foto do audi Finalmente: carro polido e limpo, esperando seu dono vir busca-lo, depois de três dias na oficina, e um profissional somente (eu) a realizar o serviço. Qualquer duvida ou sugestão acerca das técnicas e procedimentos acima apresentadas é só me chamar, estarei a sua total disposição!!!

218 comentários:

1 – 200 de 218   Recentes›   Mais recentes»
Anônimo disse...

parabens uma dica muito boa!!!

Anônimo disse...

Rapaz, parabéns pela qualidade do serviço e a forma clara e transparente na apresentação dos detalhes de uma excelente reparação e pintura !
Parabéns

Wilson Guttler disse...

Obrigado pelos elogios, são eles que estimulam a continuar o meu trabalho!! (críticas construtivas são também aceitas...)

Anônimo disse...

Belo trabalho seu.
Quero tirar uma duvida,no para choque
para refazer o retoque devo pintalo em tero ou só aonde ralou,no seu caso me parece que vc pintou o para-lama em tero e o para choque também.
obrigado.

Wilson Guttler disse...

Neste trabalho, retoquei o para-lama e o para-choque. no caso do para-lama, ele foi inteiramente envernizado, já o para-choque foi retocado, também na camada de verniz.
entre em contacto por e-mail para tirar qualquer outra dúvida! abraçoss!

MarioAzevedo Jr disse...

Boa tarde,
Como forma de hobby estou entrando no mundo da pintura automotiva. Uma dúvida que tenho é a aplicação de tinta poliester em plástico que deverá receber adesivos ( carenagem de motos ). Como o tempo para adesivar será superior aos 15 minutos para a aplicação do verniz, qual o procedimento correto? Lixar a camada de poliéster antes do verniz? Se sim, que lixa seria mais recomendada? 600?

Obrigado e abraços,

Wilson Guttler disse...

Olá Mario, boa noite. O procedimento que sugiro no seu caso(pintura de plástico em poliéster) é o seguinte:1)aplicação da tinta 2)verniz obs.:a tinta poliéster tem sua secagem relacionada ao verniz, portanto você não deve adesivar diretamente no poliéster.Imagino que vc pretende selar o adesivo com verniz e depois fazer o polimento, se for este o caso, não recomendo lixar, pois os riscos da lixa apareceriam sob o verniz. Eu fiz trabalho semelhante, e deu certo para pequenos adesivos. Obrigado pela visita e boa sorte!!

Anônimo disse...

Ótima dica... e o legal e compartilhar a mão de obra... o prata e foda de retocar... só quem mexe pra ver... abraços

Paulo Simiao Venancio Simiao Venancio disse...

Gostei muito das dicas,e do resultado final do trabalho,se voce morasse aqui em imperatriz no maranhao,com certesa seria voce que iria melhorar o visual do meu carro.meus parabens,voce e um exelente profissional.

Wilson Guttler disse...

Obrigado, Paulo! Um grande e forte abraço a todos de Imperatriz MA. Vleww!

Flavio Costa de Oliveira disse...

Boa noite colega. Parabéns pelo trabalho. Vc daria alvum curso deste tipo de serviço? Grato, Flávio.

Wilson Guttler disse...

Olá Flavio!Não, eu não ministro curso presencial sobre pintura e funilaria automotiva, mas fica a dica! quem sabe no futuro...Abraçoss!

Anônimo disse...

Muito bom trabalho em amigo. Só me tira uma dúvida, nas outras partes do paralama você lixou com a lixa 600 também? Abraços...

Wilson Guttler disse...

Foi feito um polimento de aderência, minucioso e manualmente, antes de começar o retoque. Quando lixamos os riscos aparecem depois de envernizado, então nas áreas de abertura de retoque, sempre polimos, não lixamos. Ok? Abraços!

Pedro Camilo disse...

Parabéns pelo trabalho.
Pelas fotos não há como identificar se tem diferença...

Veja se me ajuda: meu Sentra Prata 2012 riscou o para-choque em um guard-rail de metal. No local, não maior do que 1,5 cm, a pintura saiu como se fosse um plástico. Não afetou a estrutura, foi bem pequeno o dano.
Será que vou ter que pintar todo o para-choque ou existe uma técnica para retocar apenas os 1,5cm de estrago?

Grato.

Wilson Guttler disse...

Caro Pedro, para um restauro tão pequeno eu recomendo um retoque localizado, mande pesar 1/8 de galão de tinta, acertando a tonalidade e peça para apenas retocarem o para-choque, alastrando o verniz após o retoque, ficará como era antes do ocorrido.(por precaução guarde o resto da tinta) Obrigado pela visita!

Claudio Dias disse...

Wilson, boa noite. Eu comprei a massa poliester Sherwin Willians 3500 e vou fazer um retoque no meio do parachoque do carro, em cima, é um Siena preto vesúvio metalico, te pergunto: tem alguns trincados na tinta e onde vou restaurar está descascado e no plástico, aplico a massa poliester onde está sem tinta e trincado, aplico as lixas para arrematar os excessos, após aplico o primer PU em todo o parachoque e lixamento e após tudo isso, parto para a pintura e envernizamento?? Desculpe as perguntas e o tamanho do texto, mas vi em você um profissional que pode me ajudar. Abrço

Wilson Guttler disse...

Oi Claudio! A sequencia de trabalho para o seu para-choque é a seguinte:Lixar todas as áreas danificadas com lixa 80 > uma passada de aderente > massa plástica > lixar com 80/150 > primer PU > lixar com 150/400/600 > retocar > envernizar. Aconselho vc a envernizar a peça toda. Obrigado pela visita!

Ronildo disse...

Boa tarde wilson,parabens pela sua inteligencia e clareza nas explicaçoes, gostaria de saber se para pintar o parachoque por inteiro que tem pequenos ralados, se tevo lixar ate tirar toda a tinta e se tenho que usar selador em todas as partes antes de usar a massa poliester.

Wilson Guttler disse...

Oi Ronildo, boa noite! Bem, como o para-choque já é pintado ele foi preparado com o aderente, sem o qual a tinta descasca, para o reparo dos pequenos ralados, você só deve passar o aderente (após lixar) por sobre os ralados (aonde aparecem o fundo plástico),após o que, a massa.Nunca remova camadas de tinta em bom estado, isto é trabalho perdido, porem promova a aderência em todo o para-choque, com lixa 400 antes de pinta-lo. Sucesso!

marcelo ap disse...

Ola,de novo Wilson,tudo bem?
Quero tirar uma duvida,se eu posso fazer uma aerografia por sima do verniz do carro,qual seria o procedimento;obrigado

Wilson Guttler disse...

Olá Marcelo, blz! Ao pintar sobre o verniz, aconselho que selecione a área > empapele > lixe (600)> faça o desenho > desempapele > faça um polimento de aderência ao redor > aplique o verniz selando o desenho. Dependendo do local e tamanho do desenho é melhor envernizar a peça toda, em casos menores, cuidado ao aplicar o verniz, que será passado com se fosse um retoque em degradê. Boa sorte!

Anônimo disse...

meu nome e gleison trabalho em chapiaçao dez dos doze anos hoje tenho meu proprio negocio e correto usar thiner de retoque ou nivelador de tinta em retoques muito bom ficou o acabamento

Wilson Guttler disse...

Olá Gleison! Usar o thinner para retoque ou alastrador ajuda muito a fundir o retoque, porém neste retoque não utilizei esta técnica, preferindo diluir mais o verniz na última camada. Abraços!

Anônimo disse...

bom dia wilson vi sua explicacao mas gostaria de saber como faco um retoque no parachoque traseiro do meu gol g5 preto

Wilson Guttler disse...

No caso de retoque em preto, primeiro defina se é PU ou poliéster. Áreas bem pequenas podem ser preparadas sem a aplicação de primer, o que minimiza o trabalho. Vá intercalando passadas de tinta e lixamento, até conseguir uma superfície nivelada. Lixe com 600 antes de pintar a demão definitiva. nas emendas do retoque, aplique o alastrador. Boa sorte!

Andre Carvalho disse...

Parabéns pelo trabalho Wilson, tenho certeza que vc está ajudando muita gente como eu que coloca a mão na massa!
Estou removendo a pintura dos 2 capôs do meu Opala, pois ambos estão com "pés de galinha".Comecei usando removedor pastoso (Wanda), espátula e escova de aço.Existem alguns pontos com massa que comecei tirando com o removedor pastoso e acabei com uma lixadeira com flap-disc (trabalho mais rápido), parei neste ponto e gostaria de sua opinião:
-Vou terminar de remover os resíduos dos capôs com uma lixa d'água 240 e taco de borracha, estou no caminho certo?
-Após a remoção total vou limpar com thinner e depois desengraxante(Lazzuriul);
-Nas imperfeições da chapa vou utilizar massa poliéster (Lazzuril), porém não sei qual tipo de lixa usar (seca ou molhada), vc pode me dar a dica?
-Após a massa vou empoeirar com Wash Primer e depois aplicar o primer PU (Lazzuril), após o Primer devo lixar, certo?Com qual lixa?
-E após o Primer vou entrar com a Tinta poliéster e por fim o verniz.
Não sei se estou no caminho certo, mas se vc poder me ajudar nos passos que estou tomando e qual tipo de lixa usar, desde já agradeço!!

Wilson Guttler disse...

Olá André! Bem, como você removeu toda a tinta, recomendo esta sequencia de trabalho: lixar com 150(seco) > 2 passadas de Wash Primer (para imitar o tratamento original da chapa) > aplicação de primer (cerca de três passadas) > correção dos defeitos com massa poliéster ou plástica > lixamento da massa com lixa 80/100/150(seco) > aplicação de primer sobre a área masseada > lixar com 220/320/400/600(seco) > aplicação de tinta poliéster (se a tinta estiver encobrindo sem mostrar riscos, continuar até a cobertura total do primer, se não, lixar as áreas riscadas com 600, usando água, corrigindo e retomando a sequencia) > envernizar > lixar com 1200 (d'água) > polimento. Eu faria exatamente assim! Obrigado pela visita e boa sorte!

Anônimo disse...

Parabéns Wilson. Excelentes explicações. No entanto estou com uma dúvida aqui. Eu pintei o meu uno com poliéster. Até que ficou bem razoável o serviço. Mas como alegria de pobre dura pouco, uma semana depois quando estava dando uma geral para depois fazer o polimento, encontrei 3 bolhas (grandinhas e longe uma das outras) bem no teto do carro. É muita sacanagem! Não sei o que aconteceu. Como apareceram essas malditas bolhas. Mas a dúvida é a seguinte. Dá para fazer esses retoques nas áreas afetadas, ou é melhor pintar logo o teto inteiro? Sobrou um pouco de material aqui. Para os retoques dá tranquilo, mas para pintar todo o teto teria que gastar mais grana com primer, tinta e verniz PU. O que vc me diz?
Desde já agradecido pela atenção.

Dhylon

Wilson Guttler disse...

Olá Dhilon. As bolhas ocorrem por vários motivos, podendo ser superficiais ou profundas (quando se originam em camadas inferiores masseadas ou carregadas de primer). Eu sugiro que você aproveite a oportunidade para realizar um retoque, praticando técnicas que irá aproveitar futuramente, desta forma:corte e desbaste as bolhas (estilete) > lixe com 400 à seco para aderência do material de correção > nivele com massa > lixe reduzindo até 600 > retoque (não passe primer, isto aumentaria muito a área de trabalho, use a própria tinta para selar a massa) > alongue > envernize > alastre o verniz com o thinner para retoque ou alastrador (só nas emendas do retoque) > secagem > polimento. Proteja o retoque periodicamente com cera protetora, pois retoques são mais vulneráveis a ação do sol, principalmente no teto. Boa sorte!

Anônimo disse...

Valeu Wilson pela ajuda.

Talvez eu até faça um teste de retoque só para aprender e ver os resultados da técnica, mas decidi deixar esse teto na lata e refazer o serviço. Já tinha feito isso no capo e ficou 10 o resultado depois de pronto. O antigo dono desse carro me falou que foi feita umas duas vezes a funilaria nele. Deve ter muita coisa no teto. R$ 100 reais a mais ou a menos não importa. O importante é ficar um serviço bem feito.

Obrigado pela resposta e um grande ano novo para vc e sua familia.

Dhylon

Wilson Guttler disse...

Sua decisão reflete seu interesse em um trabalho bem feito, investigando antigos procedimentos realizados no carro e corrigindo-os... Certamente ficará ótimo! Parabéns e um grande 2013!!

Iatrost disse...

Olha rapaz, esta de parabens. Que exemplo de profissional.
Vou ver se acho a resposta pra minha dúvida sobre retoques, senão lhe perguntarei.

odnanref 1313 disse...

olá,amigo qual pistola de pintura vc usa para dar o primer , e qual usa para a pintura ,e qual para o verniz, a duvida é se posso usar a mesma para todas as operações, e qual a medida de bicos ? obrigado e muito bom seu serviço e bem seguenciada a explicação

Wilson Guttler disse...

Olá! É possível usar a mesma pistola para toda e qualquer aplicação no processo de repintura. Entretanto quando vamos nos especializando percebemos que se usarmos uma pistola para cada produto o resultado é mais satisfatório e evitamos a contaminação que ocorre pelos resíduos impregnados no interior da pistola(por isto a necessidade de sempre mante-las limpas). Cada bico, agulha e capa de fluido formam um kit único que mudam a configuração da pistola. 1.0 > Para micros retoques. 1.5 e 1.7 para aplicação bem diluída (tinta, verniz e seladores) 1.8 e 2.0 > para primer de enchimento com baixa diluição. Na pratica podemos compensar a pressão e o leque, alem da vazão e usarmos uma única medida universal (1.7 ou 1.8) para fazer tudo. Com o passar do tempo adquiri várias pistolas de várias medidas e marcas e mantenho pelo menos 5 em condições de uso. Obrigado pela visita!

Wilson Guttler disse...

Na resposta acima, o correto é 1.4 e 1.7 para aplicação de tinta verniz e seladores, eu fui traído pela memória! Desculpaaas...(rsrsrs)

Ripp disse...

Rapaz, você é um artista!
Admiro pessoas de talento que se disponham a ajudar os outros, sem medo de "entregar o segredo" para a concorrência. Pessoas como você tendem a subir, sempre! Parabéns.
Agora a pergunta: Pretendo pintar minha moto RD350 com spray automotivo e envernizar depois (para durar no máximo 2 anos), empapelando as faixas para não me preocupar com esse detalhe. Posso lixar e pintar, ou devo passar primer antes? Como envernizar com o spray? etc, etc... Grato

Wilson Guttler disse...

Obrigado! As peças de sua moto se não possuírem nenhum dano podem ser pintadas pós o lixamento, assim: desengraxante > lixamento (400 reduzindo para 600) > tinta > verniz. Os locais onde houver correções com massas podem ser isolados com o primer P.U. > base poliéster para homogenizar com o resto > lixa 600 > tinta definitiva > verniz. Mais duvidas? Se sim me mande por e-mail que eu respondo. Abraços!

Anônimo disse...

como se faz quando o verniz esta se quebrando"soltando".Preciso lixa-lo Todo e passar fundo em todo o capô?

Wilson Guttler disse...

Bem, é preciso uma base estável para uma repintura. Aconselho que nos locais onde há avarias seja feito o lixamento e nivelamento com o primer P.U. antes da aplicação da tinta e do verniz. Aplicar o primer no capô inteiro facilita a cobertura com a tinta e evita manchas, porem só depois de corrigir as áreas avariadas.

diego disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wilson Guttler disse...

Olá Diego, muito obrigado pela visita e elogio! Com relação a sua duvida sobre regulagem de pressão
para pistolas HVLP está correto a recomendação do fabricante, entretanto eu mencionei na postagem a medida de trabalho(que é quando apertamos totalmente o gatilho da pistola). 18 e 20 PSI significam uma pressão de 28 e 30 no manômetro com a pistola em descanso. A pressão que eu usei foi devido ao tamanho do retoque e a viscosidade da tinta poliéster. Recomendo entre 30 e 40 PSI (no manômetro instalado na própria pistola). Para o verniz podemos aumentar a pressão para 35 e 45 PSI, mas lembre-se que distancia, leque e diluição também influenciam no resultado da pintura.

Alex disse...

Boa noite, gostaria de tirar uma dúvida.. sobre o polimento com massa de polir na área de retoque, não causa nenhum problema de aderência?
Ótimo trabalho, Parabéns!

Wilson Guttler disse...

Olá Alex, bem o polimento é justamente para dar aderência para o retoque, e é feito em uma área maior do que o retoque. Obrigado pela visita!

diego disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wilson Guttler disse...

Bem Diego, este manômetro com filtro de água a que vc se refere deve ser um filtro de linha, ele deve ser instalado na parte mais baixa da linha de ar, para que seja drenada a umidade antes do ar ser usado em qualquer função. A pressão medida neste ponto não é a mesma da pistola, já que o comprimento da mangueira interfere rebaixando a pressão, por isto é que colocamos um manômetro no cabo da pistola, aí sim podemos regular a pressão de trabalho a partir da pressão marcada no manômetro acoplado. A pressão de trabalho pode variar de pistola para pistola, já que existe uma perda de pressão do manômetro acoplado até a saída de ar na capa de fluido da pistola. As melhores HVLP são aquelas que necessitam de menos pressão para a sua melhor performance. Algo em torno de 12 a 14 PSI (na capa de fluido)para uma pressão de trabalho de 22 a 28 PSI (no manômetro acoplado). Espero ter ajudado!

diego disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alexandre disse...

Olá, uma dúvida.. para pintura em poliéster qual a pressão de ar recomendada para uso e se isso muda quando se está pintando um carro inteiro ou retoque. Tive uma experiencia ruim pq a tinta começou a empoeirar muito isso se deve a muita pressão? Sou novato e gostaria de umas dicas.
Lindo trabalho, parabéns!!!

Wilson Guttler disse...

Olá Alexandre, para pinturas em poliéster com pistolas HVLP o principal é manter o leque uniforme e constante na medida de + ou - 25 centímetros a uma distancia de + ou - trinta centímetros, isto se consegue com uma pressão entre 30 e 40 psi. Sua pintura talvez tenha ficado calcinada devido a distancia entre a pistola e a área pintada, entre outras possibilidades. Para pequenos retoques devemos diminuir o leque, a distancia e a pressão, pintando a menor área possível e fazendo o degradê. Com a prática e a experiencia você pode mudar estes parâmetros de acordo com a sua forma de manusear a pistola.

Lucian motos disse...

oi amigão tudo bem sou de pelotas e tenho um pequeno probleminha, faço pinturas em motos e faço a preparação e a pintura muito bem mas quando vou aplicar verniz nos adesivos no tanque, laterais e rabeta o adesivo enrruga, qual dica podes me dar para que isso não aconteça mais podes me mandar a resposta para o meu e-mail também inflaveisgelatche@gmail.com se poderes me ajudar te agradeço abraço

Wilson Guttler disse...

Olá Lucian! Bem eu não sou expert em pintura de motos, mas já fiz alguns trabalhos com adesivos e ficaram bons. Experimente usar sempre adesivos originais e não cole-os sobre a base poliéster e sim sobre o verniz já estabilizado (quanto à sua secagem). Ao aplicar o verniz não "molhe" na primeira passada. Exponha ao sol somente quando estiver bem seco. Espero ter ajudado, Abraços!

retber disse...

Ola Wilson, encontrei seu blog no google pesquisando sobre repintura automotiva e achei o mais completo referente as duvidas que eu tinha e sanou varias delas, parabéns pelo blog, mas tenho outra duvida que gostaria que me esclarecesse, vou pintar um carro na cor preta com tinta pu mas ele esta pintado com tinta poliester, quero usar a pintura antiga como base, devo remover o verniz e aplicar a prime pu sobre tinta antiga ou posso aplicar o prime pu direto no verniz depois de dar uma quebrada com a lixa?

Wilson Guttler disse...

Olá! Sim vc pode aplicar uma passada de esmalte P.U. assim que tiver nivelado e corrigido todos os defeitos da pintura antiga diretamente, selando a pintura antiga com o próprio esmalte P.U. sem a necessidade de aplicar o primer em todo o carro, use o primer somente nos locais corrigidos com massas. Após a primeira passada de esmalte analise se há defeitos e corrija-os, se não lixe com 600 e continue a aplicação (mais três passadas). Boa sorte!

Tiago Aguiar disse...

Oi bom dia ...foi comentado em alguns momentos sobre o polimento de aderencia..
Gostaria de saber se esse polimento com massa, seria exatamente na area de retoque ou seria por volta para que a tinta emparelhe com a antiga?

Outra coisa.
Posso apenas quebrar o brilho do verniz e pintar por cima, ou tenho que remover todo ele?
Obrigado

muito bons seus esclarecimentos...
Parabéns

Wilson Guttler disse...

Olá Tiago, a área do retoque é o local que contém um dano que foi preparado para receber a pintura do retoque (inclusive foi lixado), ao redor desta área é que é feito o polimento de aderência (que é feito sobre o verniz), eu recomendo polir o painel inteiro (se for uma porta por exemplo, polir todo o resto da porta). Não é necessário remover todo o verniz, basta lixa-lo. Obrigado pelo apoio!

newjamp disse...

excelente post, parabéns.

andre silveira disse...

parabéns pela iniciativa,faço pinturas por hobby,e vc tirou varias duvidas q eu tinha sobre pintura poliester,obrigado!




Mardonio Sena disse...

ola Wilson tudo certo...volto novamente ao seu blog para mais dicas espero não ser chato...como faço para eliminar poeiras e pequenos grãos da pintura com poliéster antes da aplicação do verniz,estou com dificuldade e as vezes mancho a pintura passando os dedos muito, obrigado..

Wilson Guttler disse...

Olá Mardonio! Este problema (calcinação e detritos que acumulam após várias passadas de tinta) resolvemos da seguinte forma: Após conseguirmos a cobertura total e a homogenização da pintura, fazemos um lixamento rápido e superficial com uma lixa 800 à seco e aplicamos mais duas passadas (ou até a cobertura dos riscos) de tinta para a retirada dos riscos do lixamento, desta forma conseguimos uma superfície mais lisa e uniforme para receber o verniz. Boa sorte!

Mardonio sena disse...

ola Wilson tudo certo...gostaria de agradecer mais uma vez segui a dica e a pintura ficou perfeita o verniz ficou lisinho sem aqueles grãos de poeira muito obrigado e que Deus te ilumine...

Leandro Pereira disse...

Muito obrigado pelas informações ! Tirou muitas dúvidas que eu tinha para continuar meu trabalho no meu Monza. Obrigado por compartilhar o seu conhecimento.

Mardonio Sena disse...

ola Wilson tudo certo...estou com um gol bola para retocar mas preciso retirar o vidro traseiro esquerdo e o do porta mala, na ultima vez que tentei fazer essa retirada não tive sucesso o vidro trincou e fique com prejuízo,mas não desisto fácil e gostaria da sua ajuda se possível claro muito obrigado.

Wilson Guttler disse...

Bem Mardonio, os vidros colados devem ser retirados com ferramentas apropriadas, principalmente o arame de corte, com ele fica fácil remover a maioria dos vidros colados. Entre em contato por e-mail que eu explico melhor. Abraços!

Anônimo disse...

cara tu prepara muito bem;mas c fosse eu que fosse fazer esse retoque optaria pelo alongamento na porta para não dar diferença na tinta!!!

Wilson Guttler disse...

O alongamento foi feito no próprio para-lama! Nas proximidades da porta não houve pulverização de tinta, portanto ficou imperceptível o retoque. Obrigado pelo elogio, abçs!!

angelreg san disse...

opa
estou a pouco mais de uma semana aprendendo de tudo um pouco em uma chapeação.
achei muito fácil entender esse seu passo a passo.
Mas ainda não tenho noção de valores que o patrão la cobra e tenho um arranhão desses parecido no meu carro,só esta um pouco mais fundo, mas enfim, quanto +- você cobrou por esse serviço? Da diferença por ser nacional ou importado?
Parabéns pelo serviço e obrigado.

Wilson Guttler disse...

Olá! O custo do trabalho é calculado pelo tempo de execução do mesmo. Estabeleça quanto vale seu dia de trabalho, multiplique pelos dias gastos no restauro e some a isto as demais despesas. Existem outros fatores para determinar um orçamento mas basicamente é isto... Obrigado pela visita!

Mardonio Sena disse...

ola Wilson tudo certo,gostaria de uma dica, devo usar wash primer na chapa antes de passar massa poliéster ou prime universal porque usei wash prime e percebi que a massa não aderiu muito bem e refiz todo serviço perdendo tempo.muito obrigado

Wilson Guttler disse...

Olá Mardonio, o wash primer não pode ser "carregado" em camadas grossas, uma ou duas passadas são suficientes para proteção e aderência. Use-o quando remover grandes áreas, deixando-as na lata nua, somente nestes casos. obs.: pode-se passar o wash primer após a massa lixada também, nos locais expostos.

mardonio sena disse...

muito obrigado pela dica, agora sei onde errei usei o wash prime muito carregado dei muitas passadas mais uma vez obrigado e que Deus te ilumine.

Anônimo disse...

Muito bom trabalho.
Para fazer um remendo devo lixar ate 600 proximo ao reparo e inclusive o reparo, fazer o polimento na peça toda, deixando o verniz antigo, pintar somente o reparo e depois envernizar tudo?
Se for preto ninja, a tinta cairá sobre o verniz polido e por cima receberá o veerniz?

Wilson Guttler disse...

Obrigado! Sim, mas após encobrir o reparo, faça o alongamento conforme explicado e envernize além do retoque, fazendo em seguida o alastramento do verniz. O polimento é para garantir a aderência de novas camadas eventuais e os retoques em poliéster devem ser finalizados com verniz, obrigatoriamente.

Anônimo disse...

Quando jogo o verniz por cima da tinta antiga ja polida, fica uma diferença nas bordas do remendo(um brilho de 2mm entre as camadas).
Posso fazer este processo que vc menciona em um pedaço de +- 15 cm, lixando e pintando somente por cima desta área. Terei que envernizar a peça toda. O capo é original preto ninja e tem a mancha mencionada acima.Estou lixando com 1200.

Wilson Guttler disse...

Retoques podem ser feitos independente do tamanho e local, cores lisas como o preto ninja são mais fáceis para o acerto de tonalidade. Leia com atenção a postagem: http://pintfun.blogspot.com.br/2013/03/como-fazer-pequenos-medios-e-micros.html se ainda estiver com dúvidas mande para mim por e-mail que retornarei com prazer! Abraços!

Anônimo disse...

Wilson, agradeço desde já as suas explicações.
Em relação à mancha, devo lixar entao com 600 e abrir um pouco mais. Fazer o polimento em todo capo.Passar o preto ninja cobrindo todo o lixamento. Esperar secar uns 15min e envernizar todo o capo ou só até os limites do retoque? Devo aplicar o alastrador (não sei como aplicar isso).

Não sei seu e-mail

ah, mais uma coisa: eu fiz o retoque com spray preto ninja pois só comprei o compressor hoje. Deu diferença de cor.

Obrigado

Wilson Guttler disse...

Bem o meu e-mail é wilepaula@terra.com.br (está colocado na aba lateral esquerda, logo abaixo da apresentação de slides) todos os procedimentos demonstrados não consideram aplicações com tinta "spray".

to doidao disse...

Ola,é a primeira vez que visito este site e me surgiu uma duvida que eu gostaria que me esclarecesse:O que é polimento de aderência?
Sou pintor e gostei muito de seu site,bem explicado e detalhado.
Obrigado.

Wilson Guttler disse...

Olá, o "polimento de aderência" é um procedimento utilizado para promover a aderência nos locais onde "abrimos" o retoque (é preferível que façamos no resto da peça ou do painel a ser retocado), é um polimento manual meticuloso feito com massa de polir numero dois a base de água.

oxiton disse...

Ola wilson! -parabens belo trabalho! Tenho uma duvida: qual é o prazo maximo de intervalo para eu aplicar o verniz na pintura?(poliester) Estou perguntando, pois quando eu terminei de aplicar a tinta tinha alguns defeitinhos - ciscos,insetos etc e eu tive que perder mais de uma hora para deixar em condições de aplicar o verniz

Wilson Guttler disse...

Olá! Não existe um tempo máximo ideal de intervalo para a aplicação do verniz sobre o poliéster, mas é bom não demorar mais que um dia, para não haver impregnações de pó ou outras sujeiras na pintura. Ao retomar o trabalho, limpar com o jato de ar e remover possíveis manchas que ficariam visíveis sob o verniz. Grato pela visita!

carpediem disse...

Parabéns pelo trabalho. Gostaria que me tirasse uma dúvida. Posso pintar com poliéster sem envernizar em seguida? O poliester seca mesmo sem aplicação do verniz? e depois de alguns dias, envernizar ?

Wilson Guttler disse...

É recomendável a aplicação do verniz após a base poliéster (cerca de 15 minutos no minimo. A secagem da base poliéster está condicionada ao verniz, isto quer dizer que mesmo seco ao toque ele não tem resistência às intempéries ou solventes. Pintar o verniz após muito tempo da aplicação do poliéster pode significar perda de material e mão de obra pois no intervalo de tempo a pintura pode ficar impregnada. Obrigado pela visita!

silvaneide pereira disse...

olá me chamo silvaneide e tenho uma oficina de pintura automotiva.minha dificuldade é de fazer pintura metalica,tem alguma tecnica pra pintar carros prata,posso usar uma base de tinta P.U pra facilitar a cobertura?
parabéns pelo seu trabalho!

Anônimo disse...

Wilson, fiquei sem uma resposta em relação ao retoque no capo. Devo cobrir com tinta o pedaço que está esperando a tinta preto ninja e utilizando o polimento de aderencia passar o verniz no capo inteiro ou so proximo ao retoque (visto que a area do retoque é pequena 100cm2)

Wilson Guttler disse...

Para Silvaneide: Pinturas prateadas em poliéster devem ser feitas sobre uma base cinza e após conseguirmos a cobertura lixamos levemente com 600 e homogeneizamos (igualamos), ou seja:deixamos a pintura sem manchas. Não aconselho o uso de esmalte P.U. como base mas sim um primer tingido.
Para o amigo anônimo acima: Retoques em capôs são os mais difíceis, os de pequeno tamanho devem ser feitos com pistolas de bico de 1.0. O polimento de aderência é feito no capô inteiro ANTES do retoque, que deve seguir o procedimento indicado na postagem. Obrigado pelo prestigio!

Anônimo disse...

Ok, então devo passar o verniz em todo capo?

Wilson Guttler disse...

Bem, sabemos que um retoque em poliéster é feito com as técnicas de alongamento, tanto na base poliéster como no verniz (que é finalizado com o alastrador de retoque). Se conseguimos encaixar um retoque e finaliza-lo dentro de uma área pequena evitamos a necessidade de pintar a peça toda, esta é a grande vantagem conseguida com o domínio das técnicas de alongamento. Assim que possível publicarei uma postagem mostrando esta possibilidade, mas adianto que muitos pintores preferem pintar capo e teto por inteiro ao alongar o verniz. Eu prefiro retocar, alongar o verniz, alastrar... Aproveitando as partes em bom estado e retocando o minimo possível.

João Paulo Martignago disse...

Amigo, boa tarde!
Primeiramente parabéns pelo Blog, e pelas explicações dadas aos usuários e principiantes que gostam e queiram fazer esse tipo de segmento..
Também gosto de fazer pequenos retoques e pintar coisas pequenas e tal..
Ocasionalmente eu faço pequenas e médias pinturas em PU. Porém dessa vez eu estou fazendo uma Santana Quantum inteira, no que obviamente está consumindo muito mais tempo de trabalho..
Estou dedicando cerca de mais de 100 horas para lixamento e correção de imperfeições no carro, pois pretendo que a lataria fique 100% lisa, sem aquele efeito "Marmitex", olhando a lateral de lado...
Enfim, Estou pensando em pintar o carro em 5 etapas. Uma delas, o teto e capô, uma cada lateral, uma tampão traseiro e uma os 2 paralamas dianteiros..
Já comprei no mesmo lote, a tinta para o carro inteiro, para não ter diferença de cor (Lazuril), e verniz diluível (Lazuril). Estou pensando em utilizar 45 Libras (Medidor na saída do compressor, antes do filtro de água), para pintar tanto a tinta quanto o verniz (3 demãos cada). O que você acha?
Outra coisa.. Seguindo esse padrão, voce acha que vou ter possibilidades de alteração de cor, entre as peças? (Cor Azul Índico VW - Pareçe um verde água).

Abraços

Wilson Guttler disse...

Olá! O azul indico tem ótima cobertura sobre o primer cinza, quanto a pressão ela está correta para o verniz, entretanto quanto mais comprida a mangueira, menor a pressão de trabalho na capa de ar da pistola, devemos utilizar um manômetro na entrada da pistola para definirmos a pressão ideal. Para evitar diferença entre as etapas conte as passadas de poliéster e aplique a mesma quantidade no carro todo, além de isolar tudo com o um primer cinza. Boa sorte e abraços!

João Paulo Martignago disse...

Opa! Então, eu irei providenciar um manometrozinho na propria pistola.. Mais acho que não vai dar tempo...
Pretendo passar 3 demãos cruzando.. E verniz também!
Uma dúvida.. Cometí a índole de hoje utilizar no capó do carro o primer bege.. Será que vai rolar diferença?

Wilson Guttler disse...

Três demãos cruzadas são iguais a seis passadas, as melhores cores em poliéster encobrem com cinco passadas e teoricamente vc conseguirá encobrir o bege e o cinza, mas na prática vale muito a sensibilidade da observação, na dúvida (quando estiver pintando o capô) dê uma leve lixada com 800 à seco (após as três demãos)e aplique duas passadas leves para encobrir os riscos da lixa. Mas certifique-se de que realmente encobriu os riscos, e depois envernize.

João Paulo Martignago disse...

Certo, então não vou ter problemas de diferença na pintura, mesmo com a cor do fundo diferente, certo?

Wilson Guttler disse...

A variação do cinza para o bege vai ter um impacto, pois o poliéster não tem poder de cobertura, mas, volto a lembrar, podemos corrigir no momento da pintura, se necessário(conforme recomendei acima).

Anônimo disse...

Wilson, fiz o retoque com o preto ninja no capo mas ficou com a tonalidade mais escura(mancha). Como acertar isso?

Wilson Guttler disse...

Retoques no capô e no teto são mais difíceis também devido a dificuldade em esconde-los. Apesar do preto ninja ser uma tinta fácil de retocar, é preciso (como em todos os retoques) realizar o acerto da tinta com o colorista antes de pintar. Caso a tinta foi comprada pronta, devemos fazer a pintura de uma chapinha e conferir a tonalidade (à luz do sol, preferencialmente) se houver a detecção de uma diferença de tonalidade muito aparente, acertar a tinta. (normalmente as lojas de tinta oferecem este trabalho de acerto de cor) Só com a tinta num tom bem próximo e o alongamento em degrade do retoque é que podemos realizar retoques imperceptíveis.

Anônimo disse...

Wilson,

Vou fazer isso que vc falou mas acho que fiz algo que não ficou bom:
Fiz o polimento de aderencia ao redor da area.
Pintei deixando um degrade perto desta área.
Passei o verniz estendendo um pouco a mais.
Depois de 24 horas passei um lixa 1200 para igualar. Só que isso faz com que o degrade desapareça mostrando as bordas da nova tinta que está bem diferente. Ao lixar a tinta antiga reaparece demonstrando que o verniz saiu muito facilmente.
O que está errado?

Wilson Guttler disse...

Na teoria vc fez tudo correto. Ao término do retoque, o mesmo deve estar liso e uniforme, e o polimento final NÃO se estender até as margens do alongamento com o alastrador. Com isto evitamos a ocorrência do "degrau" que é um defeito relacionado a súbita quebra de nivelamento. Perceba que em 24H a tinta ou o verniz não estão estabilizados quanto à sua rigidez total(isto demora até meses para ocorrer)devido a este fato, o polimento final deve ser minimo ou nenhum nas bordas do retoque. Não se esqueça de proteger seu retoque com uma cera de qualidade.

Anônimo disse...

Ok, Quando vc diz polimento final, é com a lixa? Depois posso passar a politriz para polir? Como falei antes, eu achei que o verniz sai muito facil e o original é bem firme permanecendo nas áreas onde fiz o polimento de aderencia, é isso mesmo? Desculpe, mais uma dúvida, a tonalidade da tinta pode ser corrigida tambem pela quantidade de mãos que eu der? No caso eu dei 3 mãos de tinta e parece que ficou bem mais clara.
Obrigado pela atenção.




Wilson Guttler disse...

Cinco passadas de tinta é o minimo recomendado (para o poliéster)mas é preciso ter a certeza de que conseguimos a cobertura do primer antes de envernizar (o que pode elevar o numero de passadas). Usamos lixa de grana 1200, 1500 e 2000 (d'água) para facilitar o polimento tanto quanto a politriz, mas nas margens não devemos "forçar" sendo o ideal um resultado liso e brilhante sem a necessidade de polir. A secagem definitiva é lenta e não se pode comparar o verniz recém pintado com o antigo já estável.

Fabio disse...

oi Wilson gostaria de saber quantos eu gastaria para pintar um capo e dois para choques do golf 2003? quantos de tinta e verniz eu preciso para comprar?

Wilson Guttler disse...

Olá Fabio. Bem, em poliéster metálico, talvez com uma lata e meia, isto depende da cor e da preparação. Já para aplicar o verniz, uma lata de 1/4 de galão seria o suficiente (o verniz é diluído e vc precisará do diluente P.U. é claro). Obrigado pela visita!

clayton gabriel disse...

Ola wilson. você é o cara.
gostaria de umas dicas,pretendo pintar meu escort azul claro metalico, o teto e o capo estão bem queimados do sol, ja esta quase na lata em parte e as laterais estão boas, na parte alta do paralama tambem queimou, pretendo pinta-lo inteiro,devo passar o fundo so nas partes queimadas ou em tudo,em media quantos litros de fundo, tinta, verniz quais lixas vou gastar,favor quais são os passo a passo que devo fazer, tenho experiencia com pintura, mas nunca fiz em veículo.
desde já obrigado.
atenciosamente, clayton gabriel

Anônimo disse...

Wilson,
Fiz a pintura como vc falou e troquei a tinta por um Preto ninja II. Pintei o lugar com preto eo restante com verniz. Ainda não sei se vai ficar bom e grudou muita sujeira e algumas bolinhas no verniz. O brilho ficou bom. O que fazer para não grudar tantas particulas no verniz?

Wilson Guttler disse...

Para o Clayton Gabriel: A função do primer é proporcionar uma base firme e lisa para receber a pintura nova, além de homogenizar a superfície para facilitar a cobertura com o poliéster. Mas é preciso analisar cada caso quanto à aplicação de primer no carro inteiro. Normalmente 5 latas de tinta e 4 de verniz, (para uma pintura completa) e lixas de grana 60, 100, 150, 220, 320, 400, 600, 800, 1200. Além de outros materiais.
Para o amigo anônimo acima: Para não grudar detritos no verniz ao pintar um capô, uma boa dica é pintar o mesmo suspenso verticalmente (alem de outros cuidados), isto proporciona realizar uma boa pintura sem usar uma estufa. Muito Sucesso!

Tiago disse...

Parabéns pelo tutorial bem explicado e detalhado. Pelo jeito ficou um ótimo trabalho. Pena que profissionais como você estão em extinção nos dias de hoje.

Anônimo disse...

Quero agradecer pela sua atenção e dizer que o capo que eu pintei com o preto ninja só não ficou perfeito porque deixei cair um pouco de sujeira. Quase saiu tudo na lixa.

Tenho outra dúvida, a pintura da lateral está saindo quando faço um polimento e com o tempo fica sem brilho. Provavelmente houve uma repintura. Tem como arrumar isso sem repintar?

Wilson Guttler disse...

Por nada! Fico feliz que vc tenha conseguido um bom resultado com o capô. Com relação a lateral, perceba que vernizes recém-pintados não possuem ainda a dureza que alcançam com o tempo alem de que a quantia de catalisador deve ser ideal. A menos que o fosqueamento não seja causado pela secagem incompleta do verniz(o que ocorre normalmente em no máximo um mês), deve-se retocar o local.

Paulinho disse...

Olá Wilson, gostei de todas as respostas, das duvidas apresentadas... tenho a pintura como hobby e sou mto detalista, querendo a perfeição.A minha dúvida é a emenda do verniz, sempre quando vou polir ele aparece a emenda, mesmo q indelével... sempre depois q dou o verniz lavo a pistola e dou uma revoada de thinner 5000 ao redor onde seria a emenda, esse foi os melhores resultados q encontrei, é como se o verniz antigo se fundisse com o novo. acha éssa pratica correta? Abrçs

Wilson Guttler disse...

Olá Paulinho! Sim está correta pois o thinner que vc usa para finalizar o retoque tem a mesma função do nivelador de retoque. Após conseguirmos esconder a emenda basta proteger o retoque com uma cera protetora de boa qualidade. Abraços!

Anônimo disse...

Wilson, sobre a lateral que comentei acima, provavelmente pintaram com PU porque está saindo tinta. Para refazer eu devo lixar ate sair toda a tinta ou posso lixar normalmente com 1200 e depois aplicar um verniz?

Wilson Guttler disse...

Você pode também optar por: lixar com 600 quebrando o brilho > aplicar passadas leves de poliéster preto até a cobertura dos riscos > envernizar. Fica mais garantido. Boa sorte!

Anônimo disse...

uma pergunta meu carro esta e uma pequena parte descascando o venis e em outra esta queimado posso passa vernis automotivo em spray so na area e vai dar resutado

Wilson Guttler disse...

Talvez melhore o aspecto dos danos mas não vai restaurar a pintura tal qual era originalmente. O que só é possível com as melhores técnicas.

leonardo disse...

boa tarde,gostaria de saber se posso aplicar uma nova tinta sobre a tinta antiga do meu carro apenas dando uma lixada na pintura antiga? desde ja obrigado?

Wilson Guttler disse...

Se a última camada de tinta e/ou camada de verniz estiver em bom estado, sim. Entretanto caso haja desníveis ou amassados ou quaisquer outros danos, devemos corrigi-los, para depois repintar. Observe ainda que ao lixar uma pintura antiga em bom estado se removermos o verniz, desnivelando a pintura é importante selar o desnível com o primer para evitar mapeamentos futuros. Obrigado pela visita!

Anônimo disse...

show de bola o post , to fazendo um teste no meu carro no amassado da lataria da porta , lixei até a lata , desamassei com uma ferramenta de pressao a vacuo , comprei a tinta prata columbia metal , que é oq esta descrito na porta do carona na placa do fabricante , estou com o verniz o prime universal e massa poliester , vou passar a massa poliester junto da lata do carro , lixara até a lixa 600 ficar bem liso , aplicar o prime e lixar até ficar bem liso sem aparentar nenhum arranhao com a lixa com mtos graos , agora que vem minha duvida... eu pinto a porta toda? ou apenas a parte do amassado .. é uma bola bem no meio da porta... ou aplico a tinta no meio e vou passando suave para os lados abrindo a cor .. e quanto tempo espero p passar o verniz? prata columbia 91 met é poliester precisa de verniz .. nao sei como fazer essa uniao... eu pinto e lixo a pintura e dpois passo o verniz? ou passo a tinta 20 minutos dpois o verniz espero secar tudo , dpois de 24 horas eu dou uma lixada e dpois o polimento .. lixada com lixa 2000 e polimento com massa numero 2

Wilson Guttler disse...

Olá! ao lixar a massa, vc pode finalizar o lixamento com a lixa 220 e aplicar o fundo. Ao lixar o fundo, ai sim vc deve ir até a finalização com a lixa 600. Após, aplique as camadas de tinta prata até conseguir encobrir o primer, só então lixe com 800 levemente a tinta, alisando. Aplique duas ou três passadas para encobrir os riscos da lixa 800 e homogeneíze a pintura fazendo sumir a mancha do retoque, alongando o mesmo. Feito isto é só envernizar (duas passadas normais e uma mais fina, para alastrar melhor e facilitar o polimento). Entre as passadas espere uns 15 min. para não escorrer, em dias quentes o tempo pode ser reduzido para até 5 min. Lixe no outro dia com lixa 1200 ou 1500 e proceda o proceda o polimento. Boa sorte!

Anônimo disse...

WILSON fiz o ultimo post ai acima , na preparei tudo já.. lixei a massa ta tudo nivelado , eu tenho que lixar a peça toda e aplicar a pintura ? ou aplico a pintura onde ta lixado e se cair um pouco para a parte onde tem a pintura antiga com verniz vai escorrer? seria melhor eu lixar toda a porta tirando o verniz anterior e repintar a porta toda? ou nao tem problema nenhum apenas cobrindo a parte da massa e jogando tinta por cima da anterior sem lixamento... com 900 ml consigo pintar a lateral do ford ka?somente a porta e o paralama traseiro...

Wilson Guttler disse...

Olá! Não é preciso lixar a peça toda se o retoque for pequeno, mas faça o polimento nas partes que não foram lixadas na preparação, ou seja o resto da peça. Não é necessário remover toda a tinta ou verniz ao lixar, somente alisar e tirar o brilho, desde que a base (as camadas anteriores) esteja firme. Sim é possível pintar uma porta e uma lateral de um Ford Ka com 1/4 de tinta. Boa sorte! em

Anônimo disse...

wilson , então , fiz a pintura mas nao consegui fundir uma cor na outra parece que a tinta prata antiga está gasta pq ta um pouco mais escura ai ficou manchado , não continuei nem com as camadas d verniz so passei uma , vou pintar o carro todo já que consegui uma pintura legal onde foi feito , quantas maos de tinta seria bom de fazer? 3 como está na lata ou umas 4 ou 5? quantas de verniz bicomponente?

Wilson Guttler disse...

Bem, para deixar tudo no mesmo tom umas três passadas já é o suficiente, mas procure observar com cuidado durante as aplicações e só aplique o verniz quando tiver a certeza de que já conseguiu encobrir os locais nivelados.(se vc perceber que ainda há manchas, continue aplicando camadas leves, sem "molhar" a pintura). Para o verniz aplique no minimo duas passadas normais e uma mais fina, para que garanta o polimento final.

Rodolfo Felippe disse...

Olá Wilson,

Quero pintar minha moto com tinta PU preto profundo e gostaria de te perguntar se apenas com o uso de uma boa pistola HVLP e um bom compressor bem adaptado à ela eu consigo obter um fino e ótimo acabamento final nesta pintura com tinta PU preto profundo,somente pulverizando a tinta com a pistola HVLP sem que seja necessário polir a tinta PU recém aplicada posteriormente.
Obrigado,

Wilson Guttler disse...

Olá Rodolfo! Sim é possível realizar uma pintura lisa e brilhante sem ter que polir depois. Mas isto é conseguido com a prática. No caso de uma moto, como a área é menor, é mais fácil. Eu aconselho vc a pintar em duas etapas. Na primeira etapa faça a cobertura com o P.U. e na segunda etapa lixe com 800 a seco e aplique mais duas passadas com o esmalte P.U. mais fino do que o normal, se vc afinar com um alastrador (que é um diluente que evapora mais lentamente) talvez fique melhor ainda o resultado, mas cuidado para não escorrer! Boa sorte e obrigado pela visita!

gledson disse...

boa tarde amigo tudo bem com vc eu seguinte tenho um veloster prata e foi feito um serviço de lanternagem do lado esquerdo bem atras que quebrou as travas do para choque comprei outro original e mandei fazer o serviço a lateral esquerda ficou ótima bateu a cor certinha a parte de trais do para choque ficou muito boa também batendo com a cor do porta mala mais estou com impressão que o lado direito ficou diferente o para choque párese esta mais escuro que a lataria oque eu faço para ficar igual

gledson disse...

mandei as fotos no teu face do caro batido vou colocar as outras la no bate papo deis de já obrigado.

Ezequiel Quadros disse...

Boa noite wilson! Tenho um Uno preto, que esta com alguns riscos brancos nas portas e nos para -choques. Pretendo pinta-los com tinta spray, quais as dicas que você me indicaria??
Obrigado.

Wilson Guttler disse...

Oi Ezequiel! Eu não aconselho realizar retoques com spray. Mas vc pode pincelar estes riscos com tinta da cor do seu carro. Acho que ficaria melhor...

Ezequiel Quadros disse...

Tipo micro pintura??

Wilson Guttler disse...

Isto depende da paciência ao pincelar, existem oficinas que oferecem um trabalho de micro pintura baseado em pincelar e lixar os riscos até faze-los ficar quase imperceptíveis. Quanto ao trabalho com spray eu considero que é mais difícil de controlar os resultados. Agora tudo depende do tamanho do estrago, pois riscos muito profundos e largos só lixando, nivelando com massas e retocando mesmo.

Benh Hur disse...

Olá Wilson, tenho uma dúvida na loja onde trabalho o preparador esta usando massa poliéster para nivelar uma lata de + ou - 3mm, e logo após parte para a pintura. Só que uma semana depois o cliente volta e o lugar que foi aplicado a massa esta funda como se a massa estivesse murchado. Você teria uma opinião do que estaria acontecendo? Eu uso massa plastica e nunca aconteceu isso, mas ele não aceita opinião e enche de massa poliester

Wilson Guttler disse...

Olá! Este defeito chama-se mapeamento e esta associado a secagem, tanto da tinta quanto da massa. Pode ser evitado se ao pintar evitarmos a aplicação de passadas muito "carregadas" ou "molhadas". A observação do intervalo entre as passadas também é fundamental. Talvez na massa plástica não ocorra devido a catalização da mesma ser eficiente. Obrigado pela visita!

Benhur disse...

Obrigado por responder, e parabéns pelo seu blog! Voltando a pergunta que havia feito, você acha que pode ser o Fundo PU que pode não estar curado?!

Wilson Guttler disse...

De nada! Pode ser... Perceba que este defeito (o mapeamento) ocorre quando as reações químicas (catálise e evaporação) dos produtos usados no trabalho acabam interagindo uns com os outros e as últimas camadas acabam revelando as camadas inferiores. Os complementos devem ser aplicados pacientemente, a cada camada um intervalo de tempo. Um bom preparador reduz a margem de erro já durante as aplicações, aquecendo e lixando os complementos sejam massas, primers, tintas ou vernizes.

Anônimo disse...

fala wilson blz ...
então .. pintei meu carro todo , 3 demaos de tinta prata columbia metalizad, ficou show sem sujeira colada na tinta, dpois apliquei o verniz bicomponente , ai que veio o problema rs na tampa da mala ficou meio ondulado suavemente, e colou algumas pueirinhas e tem parte que ficou um pouquinho sem brilho , quanto tempo eu espero até secar completamente para poder polir ou lixar ... eu vou poder lixar o verniz com lixa 2000 3M ? e dpois fazer o polimento com massa de polir da 3M ? essa é minha duvida e tb se polindo sai essa parte ondulada do verniz

Wilson Guttler disse...

Olá! Após um dia já podemos iniciar o polimento. Entretanto a pintura ainda não está estabilizada quanto a cura definitiva e isto pode causar uma queda do brilho após a estabilização total, o que ocorre em no máximo 30 dias. Um bom teste para determinar a secagem definitiva é pressionar levemente com a unha do indicador a pintura, se marcar ainda não está seco. Use uma lixa 1200 para a pintura nova e alise bem, após inicie o polimento com uma massa de polir numero 2 a base de água.

Ricardo Lazaro Ferreira disse...

Olá Wilson

É bom saber que ainda exite pessoas como você que ajuda o próximo, somente pessoas evoluídas assim como você fazem isso.

Gostaria de perguntar a respeito da massa niveladora que vc se refere é a massa poliester? Pois estou reparando um para-choque e gostaria de saber se a massa poliéster é possível utilizar no plástico ou tem alguma massa própria para o plástico?

Outra pergunta é referênte ao verniz, pois estou com dificuldade em acertar o ponto, se diluo pouco fica muito grosso se diluo muito (40%) fica muito fino e escorre, a tinta tem que diluir também? Estou utilizando um compressor de 15pés e uma pistola HVLP. Quais as pressões corretas em bar para primer, pinta e verniz?

Desde já agradeço e fique com Deus.

Ricardo Lazaro

Wilson Guttler disse...

Olá Ricardo! Há um bom tempo que eu estou usando massa plástica light ao invés de poliéster, devido a qualidade e ao preço mais em conta. Todas as massas (plástica, poliéster, light, acrílica e rápida) além do primer de enchimento tem a função de nivelar a superfície a ser trabalhada. O plástico pode ser trabalhado com qualquer uma delas sem problemas. Nunca dilua a tinta poliéster, ela é pronta para uso. Esta diluição de verniz 5:1 a 40% é ótima, mas regule a pressão do manômetro acoplado na pistola em 25 libras com o gatilho apertado totalmente e a abertura do leque em aproximadamente 25 cm e pinte a uma distancia média de trinta cm. Boa sorte e muito obrigado pelos elogios!

Marcos Coimbra disse...


Olá Wilson,
Parabéns pelo blog.Gostaria de tirar uma dúvida com você: tenho pouca experiência em repintura automotiva e estou querendo repintar algumas peças de minha moto com tinta PU. Como acho o PU muito bonito, com um brilho inigualável, quero manter este aspecto da tinta PU inalterado nas peças. Por isso estou em dúvida entre banhar as peças na tinta para manter o aspecto natural e o brilho ímpar do PU (mas isso me custaria muito material) ou aplicar o PU nas peças através de pistola HVLP. Portanto, gostaria de te perguntar se a tinta PU quando aplicada com pistola HVLP, mantém na peça seu aspecto e brilho natural como se tivesse as peças sido banhadas na tinta ou o PU perde um pouco seu brilho, devido à atomização que sofre no processo de aplicação com pistola?
Obrigado

Wilson Guttler disse...

Olá Marcos, obrigado! O sistema em dupla camada só pode ser aplicado por pulverização pois ao banhar as peças no verniz vc diluiria a base poliéster (com o esmalte P.U.a imersão já seria possível). Tintas catalizadas são aplicadas por pulverização também para economizar material, quanto ao resultado, este só depende do empenho. O brilho intenso pode ser obtido com o polimento e a durabilidade com a devida proteção da pintura.

Marcos Coimbra disse...

Ola Wilsom,
No caso da aplicação da tinta PU com pistola HVLP, o brilho da tinta PU permanece inalterado, sem que seja necessário polimento, quando a tinta PU é aplicada com pistola HVLP, mesmo a tinta PU sofrendo atomização, ficando o aspecto da tinta e seu brilho iguais ao que vemos na tinta dentro da lata, sem ser aplicada?
Obrigado

Wilson Guttler disse...

Bem Marcos, uma pintura pulverizada nunca fica totalmente lisa e nosso objetivo é aproxima-la da textura original feita na fábrica (levemente texturizada).

Anônimo disse...

Seu trabalho fica muito bom parabens que pena que vc nao e da minha cidade moro em uberaba e nao conheso ninquem para faser um trabalho nem feito no meu carro

Unknown disse...

Opa Wilson, parabens primeiramente pelos serviços executados.

Apesar de você ter respondido acima, ainda fico com uma duvida.

meu parachoque de plastico não esta quebrado mas preciso fazer nivelamento diria grande ( mas se possivel colocar a explicação para nivelamentos grande e pequenos ).

Primeira pergunta, posso utilizar massa poliester? Caso não, qual utilizar ?
Em que fase devo usar? Direto no plastico? Após o Primer? Após a seladora?
Se possivel todas as dicas sobre nivelamento em parachoque.

Por que os fabricantes normalmente colocam que é só sobre chapa de aços?
Muito Obrigado e desculpe pela quantidade de perguntas.

Wilson Guttler disse...

Olá! Sim, vc pode usar a massa poliester ou massa light, não direto no plástico, mas pode usa-la sobre a pintura previamente lixada. Em áreas sem pintura (onde foi removido a pintura) é necessário a aplicação do aderente (seladora). Eu aconselho antes da aplicação trabalhar da melhor forma possível o dano para que a camada de massa seja a mais leve possível, isto é feito com o soprador térmico, panos úmidos e muita paciência... Aos fabricantes é interessante a troca das peças e não o restauro. Após o restauro as peças ficam perfeitas, como se fossem trocadas e isto representa um nicho de mercado perdido para os fornecedores de peças e montadoras.

Anônimo disse...

Wilson, depois de seguir suas orientações gostaria de saber se após algum tempo é normal a pintura que eu fiz ficar um pouco sem brilho e não está mais tão homogênea, tem um fundo marcado. Pode ser por ter aplicando o verniz basf (não PU)? Ou alguma coisa não foi feita direito?
(Preto ninja)

Wilson Guttler disse...

Olá! Sim, é perfeitamente normal a queda do brilho após algum tempo da repintura, isto ocorre devido à estabilização do verniz. Um polimento adicional corrige o problema. Se ocorreram manchas no período da estabilização podem estar vinculadas à catalize e diluição, mas é difícil fazer um diagnóstico preciso. Recomendo sempre o uso do verniz 5:1 devido a ele ser mais fácil de preparar em pequenas quantidades do que os outros, evitando erros de catalize e diluição.

Anônimo disse...

Wilson, o verniz Salcomix que ja vem diluido para apenas catalizar (5:1) é PU?
Outra questão, para pintar a lateral do polo sedan, como fazer para retocar as partes internas como coluna central e bordas encobertas pelas portas?

Mais uma vez obrigado

Wilson Guttler disse...

Agora existe um verniz Salcomix 850 5:1 que talvez seja um substituto para o antigo 850 8:1, ambos são P.U.. Quanto a questão das partes internas e cantos de difícil acesso aos quais chamamos de "entradas de porta" e "entradas de capô" podem ser feitos com as peças no local, limpar e polir antes facilita o trabalho dos retoques, bem como o uso de uma pistola pequena de bico 1.0 para alcançar as partes mais difíceis. Nestes locais aplicamos menos passadas, tanto de tinta como de verniz.

Anônimo disse...

Wilson, desculpe mas o que eu usei não vem marcado PU na lata mas usa catalizador 5:1.

Quanto as entradas de portas eu não gostaria de pintar porque estão boas . Tem como disfarçar por exemplo nas dobras (parte do para-lama que fica pra dentro - vão da porta)?

Davi disse...

Ola!eu gostaria de fazer um pequeno retoque em minha moto,comprei a tinta mas não sei se devo usar verniz catalizador,e se sim,como usa-lo,vc pode me dar umas dicas de como fazer a pintura?sou leigo,mas tenho tdas as ferramentas e gostariade arriscar.è tinta metalica.Obg

Leo disse...

Ola Wilson!!!
Bom gostaria de parabenizar seu blog, pois foi aqui que tirei varias duvidas sobre pintura, entre outras; mas aproveitando a deixa , pois acabei de retocar meu GTS, gostaria de saber se posso utilizar lixa 1200 com lixadeira roto orbital, para lixar o verniz (PU da Lazzuril ) obrigado e continue com seu otimo trabalho e feliz ano novo!

Wilson Guttler disse...

Em alguns casos é muito difícil pintar as dobras do para-lama sem retirar a porta ou o próprio para-lama...
Para o Davi: é obrigatório o uso do verniz nas pinturas metálicas.
Para o Leo: sim vc pode usar as lixas de polimento 1200 do sistema hookit, isto facilitará o seu trabalho. Obrigado pelo prestígio e um ótimo ano novo à todos!!

Rodrigo disse...

ola parabens pelo trabalho! me diz uma coisa q produto é bom passar sobre o assoalho dentro e embaixo do carro dentro dos paralamas etc pra se evitar a ferrujem?

Wilson Guttler disse...

Olá Rodrigo! Um bom revestimento para proteção e também anti-ruído é o popular "batida de pedra" a base de água, ele é legal pois não impregna a pintura posterior e é também muito pratico na aplicação além de ser o de melhor custo/benefício. Mas não utilize sem antes isolar partes expostas com o wash primer.

German Bozzano disse...

Amigão primeiramente gostaria de dizer parabéns a vc pois poucas são as pessoas que se prestam a ajudar as pessoas assim....
Então minha duvida é comprei 5 lts de tinta 5 litros de verniz 3 litros de primer,isso da pára repintar um marea inteiro? gostaria de saber também se tenho que utilizar o primer ou posso repintar por cima da pintura antiga com uma leve lixada (qua lixa?) Só comprei lixas a seco se puder me dizer a ordem a seguir agradeço!! Feliz ano novo

Wilson Guttler disse...

Olá German! Bem, acho que vc comprou verniz demais, 4 latas de verniz 5:1 já seriam o suficiente. Quanto a tinta: depende muito do tipo da tinta (se lisa ou metálica) e da cor (algumas tintas possuem mais "poder" de cobertura do que outras). Vc pode repintar por cima da pintura antiga sim desde que a mesma esteja em bom estado (cuidado!homogeneíze tudo antes para evitar manchas). A ordem de uso das lixas é: 80/100/150 (para ferrugens e massas) > 220/320/400/600 (para primer) > 400/600 (para a tinta em bom estado) > 1200/1500 d'agua (para o polimento). Boa sorte e feliz ano novo!

Anônimo disse...

Wilson eu nao fasso o uso de massa rapida em meu serviço,vc acha que estou errado?apenas uso massa plastica ou poliester desbasto com lixa 80 depois 150 ,320 e 400 logo apos aplico o praimer,oq me dis?

Wilson Guttler disse...

Olá! Não vc não está errado não, pois este é o procedimento padrão para os complementos em P.U. (alias é recomendado pelos fabricantes, para evitar "problemas" futuros). O uso de massa rápida e primer universal exige mais cuidados na aplicação e quando usados corretamente podem ser usados sem risco nenhum e até podem agilizar no processo de preparação. Mas a escolha de um ou de outro depende do profissional e do seu domínio nas técnicas de aplicação. Obrigado pela colocação bastante pertinente!

ARTHUR SÓRIA PRIETO disse...

Parabéns pelo blog, realmente muito interessante.

Tenho uma dúvida sobre o verniz. É necessário lixar a tinta antes de aplica-lo? Caso sim, qual a lixa recomendada?
Abraços

jair disse...

o meu caro sou pintor automotivo muito bom seu trabalho uma pergunta voce pintou o paralama todo em cima do brilho como e isso pode me explicar ja que voce poliu a peca antes de pintar eu costumo lixar na 1200 e envernizar a peca toda abraco brother

Wilson Guttler disse...

Para o Arthur: Durante as aplicações da tinta poliéster, podemos alisa-la com lixas. Entretanto as últimas camadas não podem ser lixadas pois os riscos apareceriam sob o verniz. Quando necessário eu utilizo lixas 800, 1200 ou simplesmente aliso com papel absorvente.
Para o Jair: Ao polirmos produzimos micro-riscos que são correspondente ao processo de lixamento. Como na área de abertura de retoque a tinta e o verniz são muito menos espessas que nas áreas lixadas isto é possível. Mas lembre-se de que o polimento final (se o retoque não ficar liso a contento nos alongamentos)deve ser realizado após a estabilização do acabamento.

Pedro disse...

Bom dia Wilson, pra mim fazer um pequeno retoque eu posso misturar o thiner de retoque no verniz? ou não?

Wilson Guttler disse...

Olá Pedro! Poder pode, mas vc deve aumentar a viscosidade da tinta acrescentando o diluente P.U. ao verniz e usar o alastrador só na finalização do retoque. Normalmente conseguimos um bom retoque afinando a tinta uma vez e aplicando o alastrador puro na emenda final. Boa sorte!

Anônimo disse...

Sr. wilson para pintar somente um risco de uns 50cm com aerógrafo, eu posso misturar o verniz na tinta poliester para aplicar juntos?
Muito obrigado e tenha um bom dia.

Wilson Guttler disse...

Não é aconselhado fazer este procedimento, principalmente com o poliéster metálico. A mistura pode ficar "coalhada" que é como chamamos quando ocorre aglutinação dos componentes da tinta. Para o poliéster liso é usual tingir o verniz para fazer efeitos coloridos em lanternas e vidros (pequenas quantidades de tinta, somente para tingir o verniz).

Edicarlos disse...

quero fazer um desenho no paralama o que devo fazer tem que lixa pra tira o verniz pra fazer o desenho .. da uma ideia ai e depois pra finalizaverniz e polli

Wilson Guttler disse...

Olá Edicarlos, bem uma dica importante é vc selecionar com empapelamento o local do desenho, lixa-lo com 800 e só depois realizar o mesmo. Antes de envernizar, retirar o empapelamento e proceder a mesma preparação feita em um retoque. Boa sorte!

luciano disse...

Boa tarde wilson,anteriormente vc comentou que o polimento de aderencia nao poderia ser feito com lixa , devido que apareceria riscos
depois do verniz.Mas no caso poderia ser feito com uma lixa bem fina tipo a 1200 em vez da 600? Obrigado, luciano soares.

Wesley disse...

Olá
Em vez de usar a massa nº 2 posso utilizar a lixa 1500 ?

Wilson Guttler disse...

Olá Luciano, sim a aderência nas áreas da FUSÃO do retoque é feita com polimento manual. O lixamento das áreas CORRIGIDAS para o retoque é que pode ser finalizado com a lixa 600 (ou se preferir com 800). Perceba que nas áreas de fusão dos retoques a camada de tinta é bem fina e a intenção é que ela fique lisa e uniforme sem o polimento final, bastando melhorar o trabalho com a aplicação de cera protetora.
Olá Wesley, a massa de polir não deixa vestígios sob o verniz e também promove a aderência necessária. (mas é indicada só para áreas de fusão de retoques)

Daniele Oliveira disse...

Wilson. ..lindo seu trabalho, parabéns.
Você poderia me tirar uma dúvida. .... tenho um agile preto com 5 meses de uso rs....um mês atrás, por conta de uma chuva forte na minha cidade caiu uma árvore no telhado da minha garagem...q veio a cair td emcima do carro....amassou e arranhou vários pontos como porta do motorista e a de trás. ..capô e teto. Levei no funileiro e la ficou 20 dias. Além dele ter deixado a porta por dentro mal encaixada e diversos pontos no interior arranhados (o plástico por dentro da porta) , notei q a pintura ficou com umas ondulações, dependendo do ângulo q se olha . ..essa ondulação é normal? Sou mtooo leiga rs e gostaria de uma opinião de quem entende rs
Desde já agradeço. ...

Ricardo Bastos disse...

boa noite, li os comentários e fiquei maravilhado. estou com uma grande dúvida se puder me ajudar. comecei a pintar o capô do meu siena, desamassei, apliquei massa de polieste, apliquei prime. apliquei a tinta ficou como flocos pequenos. o que devo fazer para o cinza ficar legal para receber o verniz?

Wilson Guttler disse...

Olá Daniele... Muito chato isto que aconteceu com vc, pior ainda que vc não ficou satisfeita com o reparo. Os arranhões no revestimento da porta, se não foram causados no acidente, foi descuido na desmontagem/remontagem... Quanto as ondulações, é preciso avaliar o mérito, ou seja como estava antes e como ficou, além do custo efetivo da troca em relação ao reparo, enfim é muito difícil opinar. Obrigado pela visita!
Olá Ricardo... Este defeito a que se refere deve-se a pouca pressão de ar na pistola. Com a abertura do leque em mais ou menos um palmo a uma distancia de cerca de 30 centímetros do capô a pressão deve ficar em torno de 35 libras, para um bom rendimento, já que é uma grande área. Note que a pressão é medida na entrada da pistola com o gatilho fechado, com o gatilho aberto (apertado) ela cai cerca de 10 libras. Boa sorte e obrigado pela visita!

Joel Pavan disse...

Olá, amigo! Parabéns pela sua iniciativa de ajudar e compartilhar informações. Estou dando uma geral na minha moto e vou pintá-la eu mesmo. Começarei pelo motor e chassis, os quais já removi a tinta antiga. Minha sequência de trabalho será - washprimer - primer pu - tinta poliéster - verniz fosco. O bloco do motor e o cilindro pretendo passar apenas umas demãos de fundo preto vinílico. Nas laterais do motor, vou pintar de grafite escuro metálico. Comprei um compressor Schulz de 8,5 pés e uma pistola de gravidade MP 105 com bico de 1,2mm. Preciso de algo mais? Tens alguma dica? Abraço!!!

Wilson Guttler disse...

Olá Joel! Vai ficar linda a sua moto, pois a sequencia esta perfeita! Quanto a pistola, eu usaria uma de bico 1.4 mas acho que o uso de uma 1.2 não muda em nada os resultados. Boa sorte!

Joel Pereira disse...

Wilson gostaria de saber!
Pintei porta meu carro com tinta pu mas deu um pequeno problema p pintar novamente eu preciso bater praimer nela toda ou posso pintar direto com msm tinta.

Wilson Guttler disse...

Olá Joel! Não é preciso não, basta lixar até a grana 800 e aplicar passadas leves até a cobertura dos desnivelados. Mas não espere muito para fazer isto, pois quanto mais cedo melhor, já que a secagem final é demorada, a fusão das camadas fica mais facilitada. Boa sorte!

Anônimo disse...

gostaria de saber se o verniz realmente tem que ser apicado em seguida ou tem alguma técnica que ele pode ser aplicado no outro dia?

juju disse...

Wilson, vc é de qual estado?

Anônimo disse...

Boa noite, Wilson

Meu nome é Antônio.

Parabéns pelo seu trabalho e dedicação por responder à tantas perguntas.

Gosto de mexer (também) com pintura automotiva, fazendo os retoques no meu carro. Como sempre tive carro de cor escura, nunca tive maiores problemas. Meu carro atual é prata bari e retoquei algumas partes do parachoque. Só agora, lendo sua matéria sobre o Audi, vi que são necessárias várias demãos de tinta para que o fundo não apareça. Meu trabalho ficou aceitável, mas, se tivesse lido sua matéria antes, teria ficado perfeito. Para fazer o retoque fiz o seguinte:
Lixei toda a parte a ser repintada com grana 400.
Utilizei massa acrílica rápida kombifiller para nivelar, lixei, apliquei 3 camadas de primer e lixei com grana 600 e pintei com apenas 3 demãos de tinta e 3 de verniz pronto para uso (não gosto de diliuir). o resultado é que olhando atentamente percebe-se o fundo.

Já vi alguns casos emque, após a aplicação do primer, é aplicada uma base brilhante para verificação de imperfeições. Como se chama esta base? Após aplicada, é necessária sua remoção para pintar?

Abraços e fique com Deus.

Wilson Guttler disse...

Para o visitante anônimo: Podemos aplicar o verniz no dia seguinte sem problemas, mas é preciso retirar o pó e tomar muito cuidado para não manchar a pintura ao fazer isto.
Para a Juju: Sou de São Paulo, capital.
Para o Antonio: Algumas cores são mais fácil de encobrir que outras, por isto é necessário controlar as passadas e ter paciência, aplicando camadas secas e observando com atenção o resultado. Sobre a base que vc cita eu não conheço, mas recomendo que se use um primer tingido já próximo da cor que será utilizada, ou ainda o uso de uma tinta com poder de cobertura maior do que a final, pintando em duas etapas. Por exemplo: Caso vamos pintar um carro na cor Black Safire, usamos como base o preto List, desta forma economizamos tinta e tempo.
Obrigado pelas visitas!

DALTO SANTOS disse...

Amigo, primeiro parabens pela iniciativa d ajudar-nos!!!!

Pintei algumas partes do meu monza 86 (preto liszt)...ficou bom, mas ao passar a mão sinto umas ''pedrinhas''...
Por isso, antes de envernizar, devo ou posso lixar?? qual lixa??
O verniz vai puro ou tem q misturar com alguma coisa??

Valeu!!!!

Wilson Guttler disse...

Sim, vc pode lixar com lixas de grana 800 ou mais finas, isto durante as aplicações. Até podemos retirar as calcinações com um papel absorvente, quando leves. Mas perceba que antes de aplicar o verniz vc deve encobrir os riscos de lixa. Existe um verniz que já vem pronto para o uso, mas os mais comuns são catalizados e diluídos conforme o tipo.

Edison Marques disse...

ola amigo, parabéns bem esclarecido. Só fiquei com uma dúvida, ALASTRADOR deve ser um tinner ou diluente, deve ser aplicado com pistola e quantas demão? tenho uma hilux 2010 prata,na parte traseira a baixo da sinaleira em uma encostada no para choque, riscou fundo, vou me arriscar a retocar, abraço!!

Wilson Guttler disse...

Sim Edison, o alastrador é um tipo de thinner/diluente para a fusão do retoque. Passamos uma única mão nas margens do retoque, com a pistola. Boa sorte no retoque da sua Hilux!

Pedro disse...

Boa tarde Wilson, estou fazendo alguns serviços de pintura, tudo vai bem mas na hora do verniz ele fica meio enrugado tipo casca de laranja, o que posso estar fazendo de errado?
tenho que diluir o verniz ou é só catalizar e aplicar. Se eu jogo menos verniz não dá brilho se jogo mais carregado parece a casca de laranja.
obrigado pela atenção.

Wilson Guttler disse...

Oi Pedro! É preciso saber que tipo de verniz vc está usando, normalmente eu uso o verniz 5:1 em P.U., para este tipo é necessário uma diluição também, que é proporcional a 5:2 no máximo. O que da 40% de diluição (o recomendado é 35%). Com a diluição de 35% duas passadas são suficientes para a espessura do filme ser a ideal. Boa sorte!

Anônimo disse...

Bom dia Wilson, como faço para saber se a pintura é PU ou Poliester.
Obrigado

Wilson Guttler disse...

Olá! Bem, as pinturas metálicas são sempre em poliéster, já as lisas podem ser em P.U. ou poliéster. Um teste deve ser feito para descobrir com qual sistema foram repintadas. Usando uma lixa d'água bem fina (600 ou 800) passe sobre a pintura e se a lixa ficar colorida com a cor do carro na parte de contato com a pintura é P.U e se ficar branca é poliéster, já que o verniz quando lixado produz um pó esbranquiçado. No caso de um carro branco, devemos lixar mais profundamente e observar as camadas, se houver verniz ele vai ser percebido na analise das camadas.

David Carnaúba disse...

Bom dia!

Afinal de contas, em peças novas, originais, é necessário e/ou obrigatório a aplicação de primer, ou o cataforese da peça pode substituí-lo?

Meu nome é David Carnaúba e trabalho em uma rede de oficinas, em Salvador, Bahia, A PHD Centro Automotivo.

Um abraço!

Wilson Guttler disse...

Olá David! Os procedimentos visam ajudar na preparação para a pintura final. A peça nova é revestida com uma película minima de proteção que deve ser reforçada na oficina. Tal cuidado serve também para facilitar a cobertura pela tinta poliéster (lisa ou metálica) e promover mais aderência. Na industria automotiva, antes da tinta é aplicado um primer, já na reparação automotiva as peças novas não tem este tratamento, que deve ser feito pelo pintor na oficina. Abraços!!

Alex Takaki disse...

Oi Wilson, onde é sua oficina?
obrigado,

alex

Wilson Guttler disse...

Olá Alex! trabalho em São Paulo, capital. Atualmente me dedico a restaurar Fuscas e Jipes acima dos quarenta anos, eventualmente faço consertos em carros de série.

Alex Takaki disse...

ah, entendo. pode me passar seu telefone? meu email é takaki.alex@gmail.com
obrigado

Anônimo disse...

Wilson uma coisa q eu tenho duvida eh q toda a massa q eu lixo eu deixo boleada as vezes até tiro massa. Vc poderia me ajudar?????

Wilson Guttler disse...

Olá! Bem as massas devem ser lixadas com lixas de papel, não de pano e sempre com o apoio de tacos. Vc pode compra-los(os tacos)prontos nos tamanhos disponíveis mas também pode fabrica-los conforme as necessidades encontradas no dia a dia de trabalho. O lixamento deve ser feito sem forçar o taco, sempre em movimentos circulares e controladamente ou seja: sentir com as palmas das mãos e pontas dos dedos a evolução do trabalho, percebendo onde está nivelado e onde falta material, corrigindo sempre, até conseguir um resultado satisfatório. Boa sorte!

Guitarstrings Br disse...

Amigo, seus posts são os melhores que encontrei na net, parabens!

Gostaria de contar com sua ajuda.

Meu compressor quando está perto de rearma ele perde pressão e a aplicação de tinta ou verniz fica com aspecto de casca de laranja e com crateras. Meu antigo compressor, um schulz air plus de 25litros, não acontecia isto!

Sabe dizer se é normal ? Se sou eu que estou operando errado o compressor ?

Outro detalhe é que o mesmo está mandando óleo na mangueira, as vezes preciso dar ar em componentes eletrônicos e fica uma meladeira!

Wilson Guttler disse...

Olá!... Não! É claro que isto não é normal! Se vc está usando o compressor exclusivamente para uma pintura, com apenas uma saída de ar, ele deveria bastar para a realização do trabalho. Quando a válvula de contenção está com defeito, o motor do compressor trabalha forçado pela pressão de ar que retorna aos pistões, uma solução paliativa é diminuir a pressão máxima interna no pressostato, soltando sua mola o que vai fazer com que ele desligue sem estar carregado no limite, mas vai recarregar em uma pressão abaixo da necessária. O óleo que vc percebe na mangueira está acumulado internamente no tanque, está relacionado com folgas nos pistões e com a sujeira nas válvulas dos cabeçotes. É preciso uma revisão geral, corrigindo as regulagens e trocando peças desgastadas com o uso. Espero ter ajudado e obrigado pela visita e elogio!

Guitarstrings Br disse...

Boa tarde!

Sua ajuda veio na hora certa, pois irei desfazer a troca.

Obrigado, Wilson!

Anônimo disse...

Bom dia Wilson, teria algum problema se eu aplicar tinta PU em cima da poliester ou poliester em cima de PU?
Grato

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 218   Recentes› Mais recentes»