quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Passo à Passo de Restauração em Para-choque Plástico

Atendendo a pedidos dos visitantes do Técnicas em Pintura e Funilaria, vou agora a demonstrar passo à passo um trabalho de restauro em para-choque plástico, qualquer dúvida é só perguntar, aqui mesmo (em comentários) ou no e-mail disponibilizado para este fim. Vamos a ele?
Atualmente quase todos os para-choques dos veículos de passeio são fabricados inteiramente em plástico, sendo muito útil saber realizar um bom procedimento de restauro em plástico, pois é muito comum que haja possibilidade de restaurar o para-choque sem necessidade de troca, economizando tempo e dinheiro. Mas entretanto estas técnicas precisam ser garantidas, para agradar os mais exigentes clientes, não restando dúvidas quanto a qualidade do trabalho. O carro em questão é uma CR-V da Honda, um carro luxuoso e relativamente caro, que me foi confiado para restaurar de uma batida sofrida na traseira, mais precisamente do lado esquerdo do para-choque traseiro.


Na foto ao lado, as setas azuis demonstram o desalinhamento sofrido na batida e as vermelhas os locais mais atingidos e danificados: são rasgos e deformações como afundamentos e distensões na estampa original do para-choque. Dê um click na foto para ver melhor.



Nas fotos acima mais detalhes da batida são assinalados: o alinhamento nas setas azuis deformação do para-barro na seta vermelha, alinhamento do para-barro na seta verde e um rasgo na seta amarela.





Vamos retira-lo e desmonta-lo, restaurando cada segmento que compõe o para-choque.








A foto ao lado mostra o para-choque totalmente desmontado, são quatro partes, sendo que só uma ( o para-barro direito ) ficou intacta, não precisando de restauração.






Na foto a direita: uma forma de identificar as deformações sofridas por uma peça é olhando a simetria, colocando uma ao lado da outra, como se fosse um espelho e observando as diferenças, note que a peça deformada (o para-barro esquerdo) ainda não foi restaurada.




A foto à esquerda mostra muito bem a intensidade do amassado, logo abaixo do rasgo maior, também visualizamos um vinco mais à esquerda do rasgo, já na parte prateada.





Existem no mercado algumas ferramentas especiais para soldagem do plástico, porém eu utilizei as duas ferramentas da foto à direita, um soprador térmico e uma pistola de solda. O soprador pode ser usado para desfazer os amassados e a pistola para soldar os rasgos, Quando for usar o soprador, ao esquentar as partes amassadas, trabalhe com um pano úmido para resfriar em seguida, já forçando o plástico a voltar ao estado original, até conseguir os contornos que deseja, evite esquentar demasiado o mesmo local para não deformar a textura externa da peça! Aquecer a parte interna do envolvente é uma boa dica. Quanto a pistola de solda, oriento que sejam soldados os dois lados, já que desmontamos o envolvente totalmente e podemos trabalhar os dois lados, reforçando a solda, podemos ainda embutir um grampo de metal na extremidade do rasgo, para prevenir uma possível quebra da solda.


Na foto ao lado, as soldas e os amassados da parte de baixo do envolvente foram efetuadas, originalmente esta peça não é pintada porem para um restauro de qualidade não podemos deixar vestígios do reparo e após a montagem retocaremos este modulo do envolvente copiando o tom preto original do plástico em uma tinta preto fosco vinílica ...



Na foto à direita o para-barro foi restaurado, usando somente o soprador térmico, a simetria foi conferida com o outro para-barro intacto, para não deixar duvidas quanto ao alinhamento das peças após a montagem das mesmas.



Na foto ao lado: A parte de cima do envolvente, que receberá um retoque em poliéster, pois é pintada na cor do carro, originalmente de fabrica. O circulo azul mostra um rasgo devidamente soldado com a pistola e o circulo laranja o restauro de um amassado, feito com o soprador térmico. Percebam que eu trabalho com as peças no próprio local, próximo do carro, forrando o piso com um tecido macio, para não riscar ou danificar a pintura e aumentar a área de retoque ( quanto menor o retoque, menos trabalho teremos  e melhor o resultado final do trabalho, também economizamos tempo e material!)



Bom, todas as peças foram soldadas e desamassadas, fechando a primeira etapa do trabalho, agora vamos montar o envolvente novamente no carro, seguindo a sequencia inversa da desmontagem, a foto ao lado mostra a parte interna do envolvente com dois detalhes que achei importante salientar: No circulo à esquerda, a soldagem pelo lado de dentro, e no circulo à direita, um parafuso que usei para substituir o pino plástico original, que foi perdido na batida abrindo as duas peças, o importante é a montagem ser bem feita, e reforçada, sem nenhuma fragilidade ou inconsistência que poderiam futuramente acusar o restauro feito. 


A foto ao lado mostra o resultado da montagem do envolvente logo antes de colocarmos o mesmo no carro, para então conferirmos o alinhamento e iniciarmos a preparação para os retoques, que serão efetuados após a montagem obedecendo uma sequencia lógica...


 As fotos à direita e à esquerda mostram as áreas de alinhamento, na linha pontilhada em verde e no retângulo vermelho, a conferencia das distancias exatas de abertura e posição originais devem ser restauradas, sempre observando o outro lado intacto, ou quando não for possível, procurar uma simetria entre o lado esquerdo e o lado direito, estes são detalhes fundamentais que devem ser considerados num bom trabalho de restauro!



Na montagem do para-barro, os mesmos cuidados quanto ao alinhamento: a seta laranja mostra a distancia exata que o outro lado intacto pede que seja deixada na peça avariada, após o que o alinhamento foi concluído! Finalmente podemos passar a uma nova etapa do trabalho que é a preparação para o retoque.








lixamento prévio e aderente aplicado
área total masseada
 Preparando para o retoque: O primeiro passo desta etapa é o lixamento prévio com lixa numero 40 ou 36, para dar aderência e alizar, removendo pequenos calombos e imperfeições da soldagem no plástico e do processo de desamassamento feito com o soprador, após o que aplicamos uma única passada de aderente para plástico, nas áreas expostas e que requererão acabamento com massa plástica (foto à esquerda). Isolar com fita crepe locais que queremos preservar de contaminação por produtos impregnantes, como é o caso da massa plástica, e aplicação da mesma. (foto à direita)



Seguindo uma metodologia já ressaltada em outras postagens: Após a secagem da massa plástica é feito seu lixamento, à seco, com lixa 100 no início e reduzindo para 150, posteriormente vamos eliminar os poros e riscos maiores com a massa rápida (foto à esquerda) com três passadas finas ou se você preferir com o primer PU direto, aplicando tantas passadas quanto forem necessárias para o total encobrimento dos poros e riscos da lixa mais grossa. A massa rápida deve ser lixada primeiro com lixa 150, reduzida para 220 e finalmente a 400, após o que é aplicado o primer universal, depois de isolar áreas que não queremos contaminar, é claro. (foto acima)


Após a secagem do primer universal, fazemos o lixamento com lixa 400 e reduzimos para 600, recomendado também para latarias (perceba que após a aplicação do selador para plástico o resto do trabalho é idêntico ao processo usado em latarias). Realizamos o retoque na parte prata, antes porém, isolando a parte preta para que ela não fique muito carregada de material ( foto à esquerda).

Esperamos a secagem do retoque na parte prata e isolamos o mesmo, com fita crepe e jornal (empapelamento) agora vamos trabalhar a parte preta, nesta superfície não haverá lixamento, e sim uma texturização imitando a textura original, para isto devemos experimentar algumas diluições do primer, comparando a textura alcançada com a original, até obter uma textura próxima da original, após o que é feito o retoque em preto fosco vinílico, devido ao fato que este acabamento tem mais aderência que os demais e já é fosco (foto acima à direita)

     
Fazemos o acerto de tonalidade para o retoque preto no momento da pintura, corrigindo com diluição, massa fosqueante ou clareando e escurecendo, conforme o caso. O importante é conseguir uma tonalidade mais próxima possível do tom original. Ressalto ainda que não devemos pintar diretamente no plástico ao abrir retoque, e sim após a aplicação de aderente, para não descascar. Desempapelamos e efetuamos o polimento e está pronto!!

Qualquer dúvida ou sugestão de postagens futuras, entrem em contacto! Será um prazer atende-los, um forte abraço e até a próxima!

95 comentários:

Anônimo disse...

Olá, boa noite. Não sabia que peças de plástico poderiam ser restauradas, muito interessante seu trabalho.

Wilson Guttler disse...

Podem e devem! Devemos acompanhar a evolução dos materiais usados na indústria automobilística e desenvolver técnicas para reaproveita-los, e oferecer serviços de restauro aos clientes barateando o custo dos mesmos, de forma que todos saiam ganhando.

Márcio José Silva disse...

Ola tudo bem gostei do trabalho feito no parachoque cr-v, e tambem queria aproveitar pra perguntar como e que faço pra trocar o teto do meu gol quadrado, mas a questão e como cortar as colunas do teto para que se encaixem perfeitamente assim evitando desalinhamento das portas e vidros?desde ja agradeço a atenção e obrigado!!!!

Wilson Guttler disse...

Olá Márcio! Sua pergunta é muito complexa, merecendo uma postagem para elucida-la, porem o principal (no caso de um enxerto) está no corte preciso, em ambas as partes (usar uma régua de aço e marcar a partir de referencias comum nas duas péças - a velha e a nova)e cortar precisamente sobre as marcas. Antes de soldar conferir o alinhamento das portas, capo tras. e vidros, prendendo as emendas com alicate de pressão.Dica: após alinhar uma peça, dê um pingo de solda e parta para a próxima, soldando mesmo só depois de tudo alinhado. Boa sorte!

julio disse...

Muito bom esse post. Os meus parachoques estão precisando apenas de uma nova pintura (preto fosco) devido o antigo dono ter deixado o carro muito no sol.

Sendo assim em qual passo deste post posso iniciar o processo?

Wilson Guttler disse...

Olá Julio!Bem... Como o seu para-choque não está avariado, basta saber se ele já foi pintado.(Faça um teste com uma lixa 600, se ela ficar preta ao contacto com o plástico será devido a tinta preta aplicada)Se sim basta lixa-lo com lixa 400 e repinta-lo. Se não, deve-se aplicar o aderente para plástico (seladora) e pintar. Boa sorte!

Unknown disse...

Tenho um fiat punto, e dps de uma colisao, meu parachoque dianteiro foi bem afetado, me indicaram a troca, gostaria relamente de saber se nesses casos vale a pena recuperar, minha outra duvida e quanto ao capo, o mesmo amassou mais nao afetou a tinta, nesse caso se recupera com martelinho, funilaria, ou nao fica bom e é indicado a troca do mesmo?

Wilson Guttler disse...

A recuperação está condicionada a opinião do restaurador, talvez eu pudesse opinar se visse uma foto. O capo, como não afetou a pintura, seu restauro é aconselhado, mas o resultado depende do empenho do restaurador. obrigado pela visita!

Anônimo disse...

Eu trabalho na área automotiva a anos ,sou preparador e sei que massa plástica e massa rápida não presta ,trinca da bolha etc.MATERIAL BOM É DÁ DUPONT E MAIS CARO MAS NO FUTURO NÃO VAI TRAZER DOR DE CABEÇA. NÃO EXISTE MAIS PRIMER UNIVERSAL (COMUM) AGORA É DS PARA PEÇA LISA E PRIMER PU PARA ENCHIMENTO .NÃO ESTOU CRITICANDO SEU SERVIÇO SÓ ESTOU TE DANDO UM TOQUE POIS ESSES MATERIAIS ESTÃO ULTRAPASSADOS E CAUSAM PROBLEMAS,DEIXE ELES PARA SER USADO EM FUSCA. NÃO ADIANTA VOCÊ SER UM PROFISSIONAL E NÃO CONHECER
O QUE VOSSE NECESSITA

Wilson Guttler disse...

Eu agradeço sua visita e comentário, gostaria que se identificasse, para chama-lo pelo nome. Sua colocação é pertinente, e a matéria esta ai para ser polemizada, um dos objetivos da postagem é que pode-se utilizar materiais e procedimentos considerados ultrapassados, com resultados plenos. Trabalho com Dupont desde os anos 70, antes de tudo, um dos maiores detentores de patentes químicas da área automotiva.

Júnior disse...

Wilson, antes de tudo, parabéns pelo seu trabalho, gosto muito de carros, e um dia quero trabalhar com algo que envolva o mundo automotivo, seja la o que for. Mas queria mesmo era saber o seguinte. Tenho um fiat punto, azul trinidad, e um veículo bateu na traseira, fazendo com que o para-choque traseiro ficasse amassado para dentro, porém nao rachou, ou quebrou nenhuma parte. Ele está inteiro, porém desalinhado e amassado para dentro. Gostaria de saber se há como resolver. Se possível, gostaria de ter seu email para enviar fotos da peça. Abraço!

Wilson Guttler disse...

Olá Júnior! O e-mail que utilizo para me corresponder com os visitantes do blog é wilepaula@terra.com.br , para restaurar seu para-choque utilizamos a caloria de um soprador térmico, aquecendo de dentro para fora, até conseguirmos a forma original, mas entre em contacto por e-mail que explico melhor, Abraços!

Caio disse...

Olá, gostaria de envernizar uma carenagem de moto (XTZ250 Lander). Somente envernizar, aproveitando a cor original do plástico. Quais materiais você recomendaria? Obrigado

Wilson Guttler disse...

Olá Caio... Bem se a carenagem nunca foi pintada e vc quer aproveitar a cor original do plástico, basta limpar e desengraxar > duas passadas de aderente transparente > duas passadas de verniz P.U. de boa qualidade. Vc precisará de diluente para P.U. alem do verniz e do desengraxante. Boa sorte!

Anônimo disse...

Olá Wilson

Minha mulher enroscou o parachoque do Punto numa caçamba, e a lateral do parachoque rasgou. Isso dá restauração ou melhor trocar? qual o custo aproximado? obrigado... abraços... Aurélio

Wilson Guttler disse...

Olá Aurélio! Sim é possível restaurar, é até comum o restauro de rasgados na lateral dos para-choques. Eu calculo o custo baseado em dois fatores: O tempo gasto no conserto e o valor do material empregado. Ambos os fatores somados são normalmente muito menores do que a troca do para-choque e a sua pintura completa. Obrigado pela visita!

Anônimo disse...

A tinta seria o preto fosco e diluindo acerta a tonalidade e o que seria a massa Fosqueante?

Wilson Guttler disse...

No retoque da parte preta do para-choque sim a tinta é o preto fosco, diluindo fazemos o alongamento (a base de todos os retoques) e a massa fosqueante ou matelante é um produto complementar usado para fosquear/matelar tintas e vernizes.

Anônimo disse...

boa noite wilson,capotei meu vectra 2000 e quase deu pt ,mas esta quase td arrumado novamente.rs...o parachoque traseiro quebrou ,qual seria a melhor soluçao ? comprar um novo ou recuperar este ? quais materias preciso para pintar e restaurar? obrigado desde ja ...

Wilson Guttler disse...

Olá! É mais barato arrumar, às vezes é mais indicado também, mas depende da intensidade dos danos. São necessários para o restauro: Lixas de diversas granas, massa poliéster ou light, aderente para plástico, primer, alem do acabamento (poliéster ou esmalte P.U.). Para a soldagem e desamassamento é preciso a pistola de solda e o soprador, como eu fiz na postagem. Obrigado pela visita!

Joca disse...

Olá, muito bom seu trabalho de recuperação.
Tenho uma dúvida. O parachoque do meu civic apresentava um pouco amarelado do lado esquerdo somente.
Mandei pra concessionária para repintar, daí esse mesmo lado ficou mais escuro e o lado direito fico com o mesmo tom do carro.
Vc acha que o pintor não removeu toda a tinta anterior para repintá-lo?

Wilson Guttler disse...

Olá Joca, normalmente as diferenças na tonalidade ocorrem na pesagem da tinta, o colorista deve acertar o tom exato para que o pintor efetue o retoque sem problemas. Não é preciso remover a tinta anterior para fazer a repintura. Obrigado pela visita!

João Fernando Santana Souza disse...

tenho um cruze hatch vermelho eu tava manobrando fui prestar atenção em outra coisa e acabei batendo na parece
na hora pensei q tinha amassado tudo, porem só ralou o parachoque em pequenos pontos e saiu a tinta .. sao uns 10 pontos, porem umas bolinhas peuenas que sairam a tinta e ficaram pretas... amanha posto a foto... fui num funileiro e ele me disse que o certo eh pintar e passar o verniz na metade do parachoque. Fiquei meio recioso com medo de dar diferença na cor ou acabar descascando, pois no meu astra eu fiz isso no parachoque da frente e descascou...
serah que devo fazer isso que ele falou?
ele me cobrou 100,00 pelo serviço

assim que ele bateu o olho no carro ele me disse, olha o parachoque eh diferente da cor do carro, ai pesquisei e vi que eh algo normal.
ele me disse q se eu deixaro carro segunda demanha, de tarde jah estah pronto... o que acha qeue devo fazer? quanto ao seu post, achei muito interessante, e mostra como é um serviço bem feito... se todos os funileiros fossem assim, nao teriamos mais dor de cabeça com isso...

Wilson Guttler disse...

Olá João! Bem eu acho que o preço está bom para um retoque minimo, sem considerar o valor da tinta. Muitas vezes o plástico destoa seu tom em comparação com a lataria, já vi isto em carros zero e top de linha. É possível fazer um pequeno retoque em um dia, com certeza. Obrigado pela visita e boa sorte!

Augusto disse...

Bom dia Wilsson, tenho um gol bolinha geracao 2 ano 2003 original de fabrica com os parachoques preto, o carro sempre foi da familia, de minha vo para meu pai e agora esta comigo, quando peguei ele estava com um esfolazinho no parachoque, pequeno gostaria de pintar ele mas vi muitos veiculos que foram pintados e saiu muito do original, nao quebro nem amaso nada, esta inteiro soh presisaria de uma boa pintura, confesso tenho medo de lidar com chapeção, gostaria de saber se sabe me dizer qual a cor devo usar pois deve ter experiencia nisso, se puder me ajudar, nao sei se o preto vinilico usadoa i nao ficaria muito brilhoso, se poder me ajuda agradeço, abraço!

Wilson Guttler disse...

Olá Augusto! Bem eu acho que para o retoque no para-choque do seu Gol a tinta mais apropriada é o preto fosco duco, mas antes do retoque vc deve passar um aderente para plástico incolor em uma área maior do que o retoque, e é claro nivelar os esfolados com massa plástica, seguindo o passo-a-passo demonstrado na postagem. Boa sorte!

Anônimo disse...

olá amigo tenho seguido os seus ensinamentos e eles tem me ajudado muito .tenho uma oficina de funilaria e pintura mais na qual eu sou ajudante, mais eu quero virar um profissional sou fascinado pelo tipo de trabalho eu uma grande satisfação de ver o resultado depois de pronto.parabéns pelo seu trabalho

Wilson Guttler disse...

Fico feliz em ser útil e obrigado pelo prestigio. Parabéns pela escolha desta profissão, que colha bons frutos! Abraços!!

Anônimo disse...

Olá, gostaria de saber se qualquer tipo de estrago pode ser restaurado, como um rasgo ou quebrado? Obrigado

Wilson Guttler disse...

Olá! Sim, o limite máximo para a viabilização de um restauro é o custo da peça nova em comparação ao valor do tempo que se leva para realizar o conserto, mas em geral é mais barato o reparo.

wagner f goncalves disse...

Boa noite Wilson!! Minha mãe tem um escort Hobby 1995 segundo dono super conservado e semana passada minha mãe acabou batendo o parachoque em uma mureta e acabou rachando e não consigo encontrar modelo original,só encontrei paralelo mas não queria colocar paralelo pois o carro é lacrado nunca foi batido, aqui na minha cidade tem um pessoal que recupera parachoques mas sinceramente nunca vi o trabalho deles, vc que é especialista sabe me dizer se fica bom reformar ou colocar um paralelo? Agradeço sua atenção Abraço!


Wilson Guttler disse...

Olá Wagner! Como o escort está todo original é preferível reparar o para-choque avariado. Os para-choque para escort paralelos possuem qualidade péssima. Peça garantias do trabalho aos profissionais que repararem o mesmo, normalmente o restauro só é visível se houver nova batida. Obrigado pela visita!

Fernando Hack disse...

Olá Wilson.. Gostei muito da sua Página.. Sou um entusiasta, gosto muito de eu mesmo mexer no meu carro.. Tenho um curso básico de pintura e queria tirar uma dúvida. Tenho uma Palio Adventure 2001. Comprei ela com o parachoque traseiro batido já. o antigo dono já tinha pintado os dois. Levei pra ver quando ficaria e me cobrarão 500R$ pra arrumar os dois. Resolvi eu mesmo pintar, pois achei um pouco pesado pra mim. Ai está a dúvida. O original não é pintado. Como faço pra deixar ele o mais parecido com o original possivel..Ouvi falar para usar o preto fosco vinílico com um aditivo texturizador, será que fica bom:
o parachoque traseiro já tem massa plática, como seria melhor fazer, usar plástica ou poliester;; obrigado e abraços

Wilson Guttler disse...

Olá Fernando, ao realizar a pintura procure deixar os locais restaurados com a mesma textura original, fazendo aplicações de primer com diluição menor (mais grosso) e/ou diminuindo a pressão. Isto depois da aplicação do aderente, é claro. Massa plástica ultra-light ou poliéster tem o mesmo efeito, a poliéster é mais cara e menos porosa o que facilita o trabalho. O aditivo texturizador citado ainda não cheguei a usar e portanto não posso recomendar, muito obrigado pela visita!Abraços!!!

Fernando Hack disse...

Obrigado Wilson, foi tentar usar esse aditivo e depois posto o resultado... abraço

Juvenal Duarte disse...

Bom dia Wilson.
Meu caso é parecido com o do Fernando, porém não tenho sequer curso de pintura. Pretendo comprar um Fiesta com o para-choque dianteiro descascado devido a um pequeno toque de para-choques, ou seja, de outro carro nesse que pretendo comprar. É necessário descascar todo o para-choque para pintá-lo depois?
Desde já agradeço, e se possível responda no meu e-mail:jduarq@ymail.com
Juvenal Duarte.

Juvenal Duarte disse...

Wilson, mais uma pergunta:
Como se retira esses para-choques de plástico, é simplesmente puxando, ou são fixados por dentro da carroceria, por parafusos?
Juvenal Duarte.

Wilson Guttler disse...

Olá Juvenal! é preciso observar as condições do acabamento antigo, e remover somente as áreas que apresentam trincados superficiais e com material se desprendendo, recomendo que estes locais sejam raspados com uma espátula de aço, nas áreas em boas condições basta lixar para "quebrar" o brilho e repintar ou (dependendo do tamanho do retoque) polir. Os para-choques além de encaixados são fixados com parafusos, e é preciso localiza-los, pois alguns são bem escondidos.

Marcelo Santana disse...

Boa Noite Colega,

Sou daqui de Salvador-Ba e um Motorista colidiu no lado esquerdo da dianteira do meu Veiculo que é um FIESTA HACHT 2008 e danificou bastante o meu Parachoque sendo que o mesmo é de Plástico, gostaria de saber se é possível um profissional realizar o reparo nesta peça.

Wilson Guttler disse...

Olá Marcelo, este "danificou bastante" pode não ser algo difícil de ser restaurado, devemos levar em consideração entretanto, o tempo do restauro em relação ao preço do para-choque novo. Normalmente é possível restaurar a peça.

marcosbrazil@gmail.com disse...

Parabéns pelo post!

kleberson disse...

Olá meu irmão " capotou" meu Celta 2 P Prata e so o lado do motorista foi prejudicado e o teto , capo com pequenos amassados o funileiro quer troca todas as peças paralama dianteiro, porta,lateral tras esq, e teto porem fico com medo na troca do teto ele combrou 5.500 no conserto é o preço? oque vc me sugeria ?

Wilson Guttler disse...

Olá! Realmente as peças citadas são caras, talvez ele deva colocar peças usadas em bom estado, barateando o orçamento. Sugiro que você mesmo compre as peças negociando o melhor preço junto aos desmanches e após isto contrate a mão de obra da sua preferência.Boa sorte!

kleberson disse...

Valeu Brigado pela dica vou pesquisar essas peças. obrigado pela atenção ABÇ.

Unknown disse...

Olá Wilson,
Tenho um Clio 2010 e há cerca de 3 meses, por um problema de rapaz que bateu e riscou o pára-choque dianteiro do meu carro, levei o veículo para a oficina de funilaria e foi consertado e repintado.
Recentemente, saindo do estacionamento de uma loja com o carro, arranhei a pintura do mesmo, causando leve deformação e pequena trinca na aba inferior do mesmo pára-choque, pois, descuidadamente, esbarrei num cano metálico que uma loja de minha cidade inadequadamente usou para separar o seu estacionamento de veículos (o cano foi fixado no chão numa altura excessiva e no lado oposto ao lado do motorista, por isso, ele fica num “ponto cego” quando da saída do estacionamento o que, provavelmente, já deve ter causado o mesmo problema a muitas pessoas e veículos que ali já estacionaram).
Quando cheguei em casa fui então melhor observar o estrago causado pelo cano do estacionamento e, olhando na parte de baixo do pára-choque (na aba dobrada inferior),fiquei surpreso com o que vi, pois, deparei com a pintura, não só em uma, mas nas duas extremidades do pára-choque (+ ou - há uns 10 cm de cada extremidade), totalmente descascada (sem nenhuma tinta cor prata - a cor do veículo), mas somente com a cor do plástico da peça (cor preta).
Perguntas:
1) O serviço da oficina de funilaria, quando reparou o meu carro fez o serviço de pintura mal feito? Por que a tinta saiu tão facilmente? Devo reclamar com a oficina quanto à má qualidade do serviço, feito somente há três meses? Desse jeito, não vai muito tempo para que o pára-choque descasque quase que totalmente! Sobretudo nas partes visíveis! Essa é a minha preocupação!
2)Quanto à trinca na aba dobrada inferior do pára-choque ( ela mede + ou - uns 2,5 cm e, por enquanto, fica escondida), provavelmente causada devido à batida no cano metálico do estacionamento da loja; como faço para eliminá-la? Tenho medo que devido às vibrações causadas ao veículo ao longo do tempo, essa trinca aumente e se estenda para a parte visível do pára-choque; daí, acredito, poderá ficar mais difícil de reparar e certamente mais caro.
Agradeço se você puder dar sua opinião e que Deus abençoe, você e os seus.

José Paulo disse...

Wilson,

Desculpe-me, não me identifiquei, no comentário anterior que fiz - de 10 de Setembro 2013 - 21h:02m - Assunto: "pintura descascando" e "trinca do pára-choque" - Sou José Paulo, de São José dos Campos.
Agradeço.

Wilson Guttler disse...

Olá José Paulo de S.J. dos Campos! A menos que você tenha arranhado a pintura na parte de baixo do para-choque em uma lombada ou valeta (o que é muito comum), a tinta não deveria se soltar. Como você bateu no tal cano, isto invalida a garantia do trabalho recentemente feito (por outro motivo). O trincado ou rasgo causado no estacionamento pode ser restaurado facilmente usando-se as técnicas descritas na postagem acima, com eventuais modificações (eu costumo colocar grampos de segurança quando reparo rasgos externos). Obrigado pela visita!

Anônimo disse...

Cara muito bom o seu trampo está de parabéns, a minha pergunta é : tenho uma moto honda xre 300 VERMELHA, mas ela tem algumas partes tipo material preto fosco que com o tempo no sol ficaram esbranquiçados, qual a melhor solução pinta-los caso seja possível ou usar revitalizadores de para-choques ?

Carlos Eduardo disse...

Recente eu fiz alguns reparos no parachoque de meu Santana com suas dicas, "Infalível", ficou muito bom. Minha dúvida hoje é como pintar um parachoque de plástico, preto, mas com tinta preto fosco. Seria o mesmo processo? Existe alguma dica de tinta?

Wilson Guttler disse...

Olá Carlos Eduardo! Fico muito feliz em ter ajudado e parabéns pelo sucesso nos reparos do Santana. Para pintar o para-choque de plástico com o preto fosco inicie o trabalho aplicando o aderente para plástico (uma passada) se não houverem correções de defeitos, basta aplicar o preto fosco duco (laca nitrocelulose) pois ele seca instantaneamente.

Tony Alexander Hild disse...

Olá Wilson,

Excelente seu tutorial.

Gostaria de fazer uma pergunta. Eu tenho um Polo Sedan preto, e há alguns meses, quando saia do portão da minha casa, me bateram. O para-choque rasgou na parte debaixo. Mandei concertar e até que ficou razoável.

O problema é que hoje, sofri outra batida na traseira numa esquina. Uma dona no celular não viu a fila de carros e me acertou.

A batida não foi forte, porém a tinta e o que acredito que seja o fundo que foi passado no conserto anterior trincaram completamente no canto direito. Analisando, percebi uma camada meio grossa de um fundo cinza acima da pintura antiga.

Levei o carro em dois lugares que consertam para-choques e num deles o pintor falou que removia o fundo antigo e aplicava um novo. No outro, que foi no qual eu mandei anteriormente, disse que não é possível retirar o fundo antigo e que somente lixa-se e aplica novamente o fundo e a tinta.

Acredito que se não for retirado o fundo antigo, a camada ficará muito grossa, e fatalmente qualquer encostada vai trincar a tinta.

Qual sua sugestão? É possível remover toda a tinta de um conserto e deixar somente a tinta original? O novo concerto, pintando por cima do concerto antigo terá bom resultado? Ou é melhor eu pensar em um para-choques novo?


Abraço

Wilson Guttler disse...

Olá Tony! Sim é possível remover só o material aplicado no reparo anterior, através de lixamento. É recomendável remover as partes do acabamento (tinta) ou dos complementos de preparação (fundo e massas) que estiverem trincados e se soltando do plastico. Quando realizamos um bom restauro, a camada de primer ou de massa deve ser menos espessa possível para que não trinque por qualquer batidinha. Eu acho que vc pode restaurar novamente, desde que seja feito um trabalho eficiente. Boa sorte!

carlos roberto disse...

Amigo. Em relação a minha tr4 preta. Com três trincos no parachoque traseiro. E quê fazer ?

carlos roberto disse...

* O quê fazer ? Tem como reculperar ?

Wilson Guttler disse...

Olá Carlos Roberto, Trincos superficiais são resultado de pequenas colisões. Corrigi-los é relativamente fácil, basta retocar a pintura. Abraços!

Anônimo disse...

Boa tarde Wilson, posso enviar um email para que você possa analisar o meu caso? Obrigada. Cristiane

Wilson Guttler disse...

Boa Tarde, Cristiane! Sim pode enviar um e-mail que responderei com certeza! Fotos ajudam bastante. Obrigado pelo prestigio!

Anônimo disse...

vc esta em são paulo ??
se estiver gostaria de mandar pra vc analisar e ver se pode fazer o serviço
fico no seu aguardo
feloliver@hotmail.com

Anônimo disse...

AMIGO BOA NOITE...EU GOSTARIA DE SABER SE OS PARACHOQUES QUE NÃO TEM RECUPERAÇÃO OQUE VOCE FAZ COM ELES...QUAL O FIM DELES PARA COM VC...VALE LEMBRAR QUE EU COMPRO TODOS OS PARACHOQUES QUEBRADOS QUE NÃO TEM USO NENHUM...USO ELES PARA OUTRO FIM...SE ACASO VC TIVER ALGO DESSE TIPO QUE NÃO SERVE PARA VC...GOSTARIA DE DEIXAR MEU NUMERO PARA CONTATO...POIS COMPRO TODOS PARA SEREM RECICLAVEL E APROVEITADO AQUI NA MINHA EMPRESA...CASO VC TEM ALGUEM COM GRANDE ESTOQUE DE PARACHOQUES QUE NAO SERVEM DE NADA PARA VCS,EU COMPRO TODOS E RETIRO NO LUGAR....]MEU NUMERO PARA CONTATO É (44) 9994-9379....(44) 9161-6161...OU (44) 3244-5276 ISAIAS FIDELES...E-MAIL PARA CONTATO ISAIASFIDELES@HOTMAIL.COM...GRATA PELA SUA ATENÇÃO ABRAÇÃO...

Anônimo disse...

Muito bom! Parabêns!

Anônimo disse...

Muito. Bem. Tutoriall excelente....

Anônimo disse...

Poh cara mt bom esse trabalho ficou realmente bom o serviço !

Cara tenho uma duvida tenho um kadett sl/e e os seus parachoques ja foram pintados porem existe alguns descascados e alguns arranhados nos parachoques e no dianteiro tem uma trinca ! O que devo fazer pra repintalos ? é só lixar dar massa nos locais q tão mais fundo e pintar ??? e na trinca devo soldar neh ? é possivel soldar somente com o soprador ??

Anônimo disse...

Olá Wilson gostei do seu trabalho ? muito perfeito com precisão . Olha eu estou comprando umas ferramentas para abrir o meu próprio negocio.Sim!de reformas parachoques, gostaria saber se você dar cusos do mesmo. O meu muito obrigado!!!
Dílson Lima ...disonsouza78@gmail.com

Anônimo disse...

Olá amigo, essa pistola de solda que vc usa é especial para plastico ou é aquelas para solda estanho?e qual material vc usa para colar?o paralamas do meu carro(olá amigo, esse aparelho de solda é especial ou aqueles comuns, que usam para solda estanho?e qual material vc usa para colar?gostaria de saber se o paralamas do clio(que é de plastico), tem possibilidades de ser recuperado.abraços, Douglas

Wilson Guttler disse...

Respondendo aos três últimos comentários: Para as soldagens em plástico eu prefiro a pistola de solda, mas é possível soldar com o soprador (mas mais trabalhoso).
Para o Dilson: Não, eu não ministro cursos. Mas posso responder suas duvidas por e-mail.
Para o Douglas: Existem ferramentas específicas para a soldagem em plástico, mas eu utilizo a pistola de solda elétrica (considero mais eficaz). Os para-lamas do clio podem ser soldados e recuperados sem problema. Para colagens pode-se usar resina de poliéster com ou sem manta de fibra e massa plástica. (mas depende do caso). Obrigado à todos e um ótimo 2014!

Anônimo disse...

Olá, primeiramente parabens pelo post, eu gostaria de saber se é possível recuperar um parachoque que foi feito furo errado para o sensor de estacionamento?

Wilson Guttler disse...

Sim, com certeza é possível, basta preencher o furo com um pedaço de plástico de igual tamanho e solda-lo. Retocando em seguida.

rafaelfaelfast disse...

Bom dia mto legal msm o seu trabalho preciso restaurar um parachoque d um kadett 91gs ele esta meio ralado por batinhas na dianteira ele eh preto fosco como devo fazer passo a pasdo e kual material debo comprar..graro

rafaelfaelfast disse...

Ah detalhes sem ferrsmentas certas vai ser o meu primeiro projeto o parachoque dianteiro

Wilson Guttler disse...

Olá Rafael! Para este para-choque que só tem "ralados" e é preto fosco é interessante vc atentar o detalhe da textura, reproduzindo o granulado original com aplicações de primer, isto após corrigir as imperfeições com massa e lixamento. Faça o trabalho nesta sequencia: limpeza > aderente > masseamento > lixar até a grana 320 > primer > pintura (após conseguir a textura final aplique a tinta sem lixamento prévio). Para futuros projetos adquira também um soprador térmico e uma pistola de solda. Boa sorte!

Kleiton Curci disse...

Bom dia, será que tem como recuperar grade dianteira do Golf GTI 1995 que é dois filetes a original, a minha está quebrada pq o cara deixou a moto cair em cima do meu carro e futuramente vou reformar ele inteiro e quero deixar com a grade original.

evildson vasques landim disse...

ola amigo muito fa do seu blog mais vai a duvida tenho um celta 2006 life azul santorine, e gostaria de deixar ele novo de novo pois ja ta com o teto queimado e outras avarias conversei com um amigo e ele vai tirar toda e qualquer morsa ou defeito da lataria e eu vou meter a mao na massa e bar um banho de tinta no meu carro sera que se possivel vc poderia mandar dicas para pintura da latarias e dos plasticos externos e internos. desde ja lhe agradeco.

Wilson Guttler disse...

Olá Kleiton Curci, as grades podem ser restauradas também, note que o plastico de que são feitas é diferente (mais rígido). A forma de restauro está relacionada ao dano sofrido, é claro. Boa sorte!
Olá Evildson, suas duvidas podem ser elucidadas por e-mail: wilepaula@terra.com.br respondo a todos na medida do possível. Boa sorte na reforma do celta.

Frantchesco Faioli Poggian disse...

Como trazer de volta a cor do para choque danificada pelo sol

Wilson Guttler disse...

Olá Frantchesco, quando os danos são superficiais (ainda no inicio) um polimento pode revitalizar a pintura, entretanto nos casos mais agudos quando a tinta ou o verniz já estão deteriorados, somente com repintura.

Frantchesco Faioli Poggian disse...

Como faço para trazer de volta a cor do plástico preto que ficou meio branco devido ao sol sem presizar de pintar

Wilson Guttler disse...

Bem, então os para-choques estão originais sem pintura, neste caso é possível melhorar sua aparência com produtos chamados de revitalizadores para plástico, existem ceras que são indicadas para a mesma finalidade mas eu não cheguei a usa-las ainda. Boa sorte!

Unknown disse...

Olá, tudo bem?
Eu tenho uma montana 2004 que está com os pára-choques dianteiros e traseiros arranhados e em um deles descolado. Eu instalei o sensor de estacionamento no veiculo e um dos buracos do sensor, abriu mais que o necessário. eu gostaria de saber se é possível restaurá-los e ou colocar uma pelicula por cima deles?

att.(Gleisson)
De gtomaz87@gmail.com

Wilson Guttler disse...

Sim é possível restaura-los, com certeza.

Franklin Josepf disse...

Hoje aconteceu de um rapaz encostar no meu carro ficou uma lista e tipo aquele amassado, só que foi raso raso o amassado e nem tirou a pintura, só ficou aquela lista fosca como se tivesse tirado um pouco do verniz, a cor vermelha ficou intacta, porém eu acho que com um polimento saia com facilidade. O problema é o amassado rasinho. A parte é proximo a tampa de combustivel. Existe a possibilidade de desamassar sem precisar pintar todo parte? OU se tem como desamassar sem mecher na pintura? Agradeço desde já.Meu face: www.facebook.com/franklin.josepf
E-mail: frankito.beta@live.com
Por favor me responda e me ajude.

Wilson Guttler disse...

Olá Franklin... Um micro retoque ou um trabalho de restauro utilizando as técnicas de "martelinho de ouro" certamente resolveriam este caso. Cabe ao restaurador a escolha mais coerente. Boa sorte!

Kika disse...

Oi, bom dia!!!
Sou Kika e tenho algumas dúvidas espero que vc possa me ajudar.
Tenho um megane 1.6 2009, um motoqueiro bateu no lado esquerdo e com a pancada quebrou o paralama cerca de uns 10cm e o parachoque quebrou alguns pinos de sustentação e também soltou um pouco, não quebrou só riscou.
Estive em 05 martelinhos de ouro e foi ai que minhas dúvidas surgiram, dos 05 que estive 03 disseram que não dava para restaurar 02 disseram ser possível.
Motivos apresentados para NÃO ser possível fazer o reparo: "que o material do paralama do megane não permiti solda pois ele derrete."

Vc tem conhecimento sobre isso?
Dê fato não é possível reparar o paralama?
Moro em Curitiba.

Muito obrigada,
Kika.

Wilson Guttler disse...

Olá Kika! Sim é perfeitamente possível a restauração do para-lama e do para-choque. Os plásticos em geral permitem as soldas, mas cabe ao restaurador a escolha de como será feito o serviço. Se não é possível uma técnica, usamos outra. Se o argumento foi de que não dá para soldar, existem outras formas de reparo, como por exemplo a colocação de micro-próteses, a laminação com fibra, costura com náilon ou arame, etc... Todas de fácil consecução e de garantido resultado. E o mais importante: o custo acessível! Boa sorte!

André disse...

Meu caro Wilson Gluter, vc está de parabéns! seu post é realmente muito bom e esclarecedor, tenho um croxx fox que sofreu uma leve avaria no para-choque dianteiro lado esquerdo uma rachadura de cerca de 3cm e mas o que me incomoda mais é que ficou um pouco desalinhado! gostaria de saber como faço para tentar alinhar ele. desde já fico agradecido
André.

Wilson Guttler disse...

Olá André! Este desalinhamento esta relacionado ao meu ver (já que vc diz que a avaria foi leve) a montagem. Para o alinhamento ser corrigido eu sugiro que ele seja retirado e recolocado novamente, desta vez observando qualquer detalhe que dificulte o perfeito alinhamento e é claro corrigindo os possíveis erros. Boa sorte e obrigado pela visita!

Anônimo disse...

Ola wilson muitos parabens pelo seu trabalho!!!queria fazer uma pergunta,minha moto caiu e riscou os plasticos é possivel tirar os riscos?? Obrigado

Wilson Guttler disse...

Sim, claro! Dependendo do tamanho dos riscados é possível até resolver com a "técnica de micro-retoques".

Anônimo disse...

Micro-retoques como assim?obrigado

Marcos disse...

Olá amigo, meu pai tem um peugeot 307 e eu ralei o parachoque quando fui entrar na garagem, a parte preta que é pintada consegui arrumar mas a parte de plastico não pintada o funileiro disse que não tem o que fazer, você alguma técnica para tirar os riscos? Se lixar resolve?

Wilson Guttler disse...

Olá Marcos! Repare que nesta postagem sobre restauração de para-choques de plastico há o reparo na parte não pintada originalmente. Basta realizar o reparo reproduzindo a textura final e retocando conforme descrito. O objetivo é tornar o abalo imperceptível. Boa sorte!

Anônimo disse...

Parabéns pelo trabalho, realmente tu manja muito. Tenho um Palio prata bari e fiz um arranhão de mais ou menos uns 15cm no parachoque traseiro, gostaria de umas dicas pra restauração em casa mesmo, o risco foi fundo, ficou com relevo, acho que será necessário a aplicação de alguma massa pra preencher o "buraco".

Att;
Alessandro

Andre luis de lara disse...

Olá, boa noite, tenho um gol bola 97 e necessito fazer uma nova pintura nos para-choques que já encontram-se pintados na cor do carro, apenas é necessário fazer o lixamento da pintura já existente com a lixa 400, aplicar aderente de plástico, fundo PU e repintá-lo?...Me preocupo com uns arranhões consideráveis, neste caso é necessário a aplicação de massa plástica para efetuar as correções ? Abraço e Obrigado pela Atenção.

JENNIFER BOCCI disse...

Boa tarde, parabéns pelo site Wilson muito bem feito.
Tenho um Etios Cross e na frente dele tem uma moldura prateada imitando um quebra mato e o parachoque é aquele de plástico preto, na garage aqui do prédio um rapaz manobrando o carro deu uma ralada na frente pegando a moldura e o parachoque de plástico preto, na concesssionária vende a moldura e o parachoque mais o parachoque é muito caro e eles só vendem e instalam, não arrumam, gostaria de saber com você se a parte do plastico preta e ate mesmo a moldura dianteira do etios cross que esta arranhada da pra arrumar mantendo a originalidade do carro e quanto custaria ! Se puder me passar telefone pra contato, agradeceria! Obg

Anônimo disse...

Olá Wilson, parabéns pelo seu blog! Eu tenho um Gol 2003, 1.0 8v, com parachoque cinza, só que agora ta todo marcado, meio esbranquiçado do sol..Tem algum produto pra eu usar que possa dar uma revitalizada nele?
Obrigado, Kleber.

Wilson Guttler disse...

Olá Jennifer, certamente que reparar o para-choque e a grade seria mais conveniente do que a troca, no caso do seu Etios, infelizmente eu estou me dedicando somente aos carros mais velhinhos (acima dos trinta) no momento.
Olá Kleber, sim existem os chamados revitalizadores de plástico e também as ceras especiais para plástico, eles melhoram o aspecto da peça mas até certo ponto... Vale a pena usa-los.